Pesquisa no Rio estuda rejeição ao “Bandido Bom é Bandido Morto” 
Rio de Janeiro bate recorde de homicídios 
256 cidades do Estado de São Paulo não possuem Delegado 
Postura e compostura policial no carnaval.por Daniel AbreuPostura - (Do Lat. positura),S. f., Posição do corpo; Atitude; Disposição, aspecto físico;Compostura - S.f., Acção de compor; Composição; Conserto; Arranjo; Organização; Contextura.A postura e a compostura sempre são ressaltadas antes do serviço de carnaval. Na concepção policial a postura se trata da posição do PM na patrulha, da sua atitude e do seu porte físico, que para a população a primeira vista tanto pode gerar uma sensação de segurança, quanto o inverso. Já a compostura é a organização, a formação tática e a composição do policial na patrulha, que, se trabalhados e estudados com maiores detalhes, tornam a "ação" ostensiva da patrulha mais eficiente.Há de se lembrar que, antes de eventos de grande porte, neste caso, o carnaval, o comando da corporação (aqui na Bahia) vem sempre chamando atenção e alertando os comandantes de unidades para instruir os seus subordinados quanto a importância dessas duas variáveis que indiretamente influem no bom andamento do serviço. Patrulha na Lavagem do Bonfim: postura e compostura determinam a eficiência do serviço. Foto: Antonio FonsecaTecnicamente falando, a postura e compostura também podem ser comparadas a um termo muito "ouvido" por nós Alunos-Oficiais que é a disciplina tática no terreno, que nada mais é do que o acatamento da disposição/posição da patrulha no terreno previamente planejado por um grupo responsável pelo planejamento operacional do serviço (PLANOP). Dentro do plano de organização das patrulhas nas sub-áreas, existe um cartão-programa que ilustra e informa a posição de cada patrulha no terreno em determinado horário. O cartão contém informações do tipo: local de atuação, horário do lanche, horário de ocupação do PEO (Posto Elevado) e etc. O motivo de sempre ser chamado à atenção desse tópico quando acontece um evento dessa grandeza, é que no "calor" do serviço, na flagrância de delitos e na percepção de áreas mais "problemáticas" ou menos "pacíficas", as patrulhas têm uma certa tendência a se dispersar ou se concentrar nessas áreas.Esse fenômeno faz com quê, além de deixar o setor com aglomerados ou faltas de patrulhas, deixa os comandantes de área sem o conhecimento da real localização da tropa. É claro que nem sempre será possível seguir o cartão-programa à risca, pois eventualidades sempre podem ocorrer, mas na medida do possível e regado com bom-senso o comandante deverá sempre se guiar pelo planejamento, que não foi produzido de maneira empírica.Também devemos lembrar que nem sempre o planejamento está correto, e quando isso acontecer, a recomendação é que a falha seja levada ao responsável e que um estudo seja feito em cima das novas informações para que o serviço possa transcorrer da melhor forma.O Carnaval da Bahia já começou. O Abordagem Policial deseja a todos policiais um bom serviço e, lembrem-se: vamos manter a disciplina tática no terreno neste Carnaval.