Pesquisa no Rio estuda rejeição ao “Bandido Bom é Bandido Morto” 
Rio de Janeiro bate recorde de homicídios 
256 cidades do Estado de São Paulo não possuem Delegado 
por Danillo FerreiraConheço Santa Catarina, e possuo algumas pessoas minhas por lá – felizmente, a salvo do desastre que acometeu o Estado na semana passada, e que já levou à morte mais de 100 pessoas, desabrigou ou desalojou mais de 75.000. Tudo por causa de uma tempestade que fez se abater sobre o Estado mais de 300 bilhões de litros de água. Por uma coincidência infeliz de fatores meteorológicos e geográficos o Brasil assiste absorto à maior calamidade já ocorrida em Santa Catarina. A Revista Veja desta semana traz uma matéria que trata do assunto, contendo relatos tristes como o que se segue:"No domingo 23, o operário André Oliveira, de 29 anos, deixou a família na casa de um parente, no município de Gaspar, e foi ao mercado. A poucos passos do portão, ouviu um estrondo. Ao olhar para trás, viu a mulher na varanda e os filhos no quintal. "Saiam daí", gritou. Não deu tempo. O morro próximo veio abaixo soterrando, além da sua casa, uma dezena de outras. Oliveira ainda ouviu o choro da filha de 3 anos, Ester. Tentou tirá-la dos escombros, mas dois novos desabamentos se sucederam. Quando resgatou os corpos, viu que sua mulher morrera abraçada à menina. "Ainda não parei de chorar", disse ao repórter Duda Teixeira."Fotos Marcos Porto/Ag. RBS, Moacyr Lopes Júnior/Folha Imagem e Fernando Donasci/Folha ImagemAlguns profissionais podem atuar numa situação dessas de maneira ativa, como alguns policiais da Força Nacional que já se encontram em Santa Catarina, ou mesmo psicólogos que tentam mostrar às vítimas que perderam familiares e bens que ainda há motivos para continuar vivendo. Para quem não pode ajudar de maneira ativa, nas localidades afetadas, a Defesa Civil do Estado disponibilizou um site para direcionar os interessados em fazer doações. Segundo se diz nos meios de comunicação, a unidade do pão francês chega a custar R$ 4,00, e o litro de leite R$10,00. As doações, preferencialmente, podem ser feitas através das seguintes contas bancárias (qualquer valor):- Banco/SICOOB SC - 756 - Agência 1005, Conta Corrente 2008-7- Caixa Econômica Federal - Agência 1877, operação 006, conta 80.000-8- Banco do Brasil - Agência 3582-3, Conta Corrente 80.000-7- Besc - Agência 068-0, Conta Corrente 80.000-0.- Bradesco S/A - 237 Agência 0348-4, Conta Corrente 160.000-1- Itaú S/A - 341, Agência 0289, Conta Corrência 69971-2- SICREDI - 748, Agência 2603, Conta Corrente 3500-9- SANTANDER - 033, Agência 1227, Conta Corrente 430000052Nome da pessoa jurídica é Fundo Estadual de Defesa Civil, CNPJ - 04.426.883/0001-57.Para outros tipos de doações clique aqui.Como a situação é também um caso de segurança pública, e nós, policiais, não podemos deixar de ajudar em tamanha tragédia, convoco os seguintes blogs policiais para também fazerem um post tratando do assunto, divulgando as maneiras de se fazer as doações:- Diário de um PM- Caso de Polícia- Blog da Segurança Pública- Blitz Policial- Universo PolicialLembro-me da beleza da cidade de Blumenau, e do sol que lá fazia quando visitei a Oktoberfest, tradicional evento regado a muita cerveja e descontração. É uma lástima ver fotos daquela bela terra inundada e destruída. Certamente não podemos desconstruir uma tragédia, mas podemos ajudar a reconstruir a beleza e a vida de lugares e pessoas, como nós, humanos, como nós, brasileiros.* * *Atualização: O Cathalá, do BSP, que deu prosseguimento à corrente (assim como os demais convocados), passou a bola para outros blogs policiais e divulgou algo interessante:"O Major Bornhofen, que trabalha em Blumenau, relatou o sofrimento de policiais militares que perderam todos os bens, pois a casa em que moravam foi simplesmente varrida pela enxurrada e desmoronamentos. Já são 309 policiais e bombeiros desabrigados em todo o estado de Santa Catarina, conforme contabilizado pela ABEPOM, que tem feito importante trabalho de ajuda aos militares catarineses.Se você pretende ajudar especificamente os policiais militares de Santa Catarina atingidos pelas chuvas, visite o site da ABEPOM, pois eles fizeram um levantamento das necessidades específicas dos colegas policiais."Ajudemos, pois, os PM's catarinenses...