Os problemas com as armas Taurus 
Mulheres com medidas protetivas poderão acionar botão para chamar a polícia em Pernambuco 
Jovens são presos por desacato após comentar ações de policiais 
Tinha publicado aqui o post “A Nova Blogosfera Policial”, onde elenquei, de acordo com o critério do tempo de atualização, os blogs policiais atuantes neste ano de 2009. Para minha surpresa, assim que publiquei a lista, o Ten. Alexandre, do Diário de um PM, acabara de divulgar a sua “Grande Lista da Blogosfera Policial Brasileira”. Pois bem. Para garantir o saudável espírito colaborativo da WEB, acabamos fundindo as duas listas, o que acabou gerando o número de 59 BLOGS POLICIAIS no Brasil (isso com a enorme possibilidade de omissão da nossa parte, já que não temos como rastrear de maneira eficaz todos os blogs policiais). Eis que, observando a difusão desses blogs nos estados brasileiros (14 estados), chegamos ao seguinte mapa (os estados em amarelo possuem blogs policiais): E a lista, com os 59 blogs policiais brasileiros que identificamos, vai abaixo… AMAPÁ (1) Macapá 180 Graus - http://macapa180graus.blogspot.com/ BAHIA (4) Abordagem Policial - http://abordagempolicial.blogspot.com/ Blitz Policial - http://blitzpolicial.blogspot.com/ Grupo Transparência PCBA - http://grupotransparenciapcba.blogspot.com/ Poder de Polícia - http://poderdepolicia.blogspot.com/ DISTRITO FEDERAL (4) Policiamento Inteligente - http://aderivaldo23.wordpress.com/ Blogando Segurança - http://blogandoseguranca.blogspot.com/ Blog da Segurança Pública - http://segurancapublica.net/ Blog do Protógenes - http://blogdoprotogenes.com.br/ GOIÁS (1) Diário do Stive - http://www.stive.com.br/ MATO GROSSO (2) Jus Militar - http://jusmilitar.blogspot.com Policial do Povo - http://policialdopovo.wordpress.com/ MINAS GERAIS (3) Blog da Renata ASPRA - http://www.renataaspra.blogspot.com/ Blog do Pracinha - http://pracinha.stive.com.br/ Universo Policial - http://www.universopolicial.com/ PARÁ (1) Blog do Capitão Claudio Marino - http://claudiomarinofdias.blogspot.com/ PERNAMBUCO (1) Capitão Assis - http://capitaoassis.blogspot.com PIAUÍ (2) Soldado PI - http://soldadopi.stive.com.br/ Vitimização Policial - http://blog.cevipol.com.br/ RIO DE JANEIRO (27) Btl de Pol. Florestal e de Meio Ambiente - http://bpfma-rj.blogspot.com/ Agenda da Cidadania - http://agendadacidadania.blogspot.com/ Blog do Delegado Marcelo Itagiba - http://www.marceloitagiba.com/ Blog do Capitão Luiz Alexandre - http://capitaoluizalexandre.blogspot.com/ Caso de Polícia - http://www.casodepolicia.com/ Coturno Carioca - http://coturnocarioca.blogspot.com/ Choque de Cidadania - http://choquedecidadania.blogspot.com/ Conto de Fardas - http://contodefardas.blogspot.com/ Cordel da Bola de Fogo - http://cordeldaboladefogo.blogspot.com/ Crônicas de um Sargento de Polícia - http://cronicasdeumsargentodepolicia.blogspot.com/ Diário de um PM - http://www.diariodeumpm.net/ Emir Laranjeira - http://emirlarangeira.blogspot.com/ Esposa de Praça PM - http://esposadepracadapm.blogspot.com/ Falando de Polícia - http://falandodepolicia.blogspot.com/ Falo de Polícia - http://falodepolicia.blogspot.com/ Grupo PCERJ - http://grupopcerj.tumblr.com/ Idéias e Ações - http://marius-sergius.blogspot.com/ Justiça Salarial na PM - http://bpfmarj.blogspot.com/ Major Wanderby - http://wanderbymedeiros.blogspot.com/ Militar Legal - http://www.militarlegal.blogspot.com/ O Alvo da Chibata - http://www.oalvodachibata.blogspot.com/ Projeto 200 anos - http://projeto200anos.blogspot.com/ PM Utopia - http://pmutopia.stive.com.br/ Praças da PMERJ - http://pracasdapmerj.blogspot.com/ Recruta PM - http://recruta-pm.blogspot.com/ Somos Praça - http://somospracas.blogspot.com/ Termo Circunstânciado - http://www.termocircunstanciado.com.br/ RIO GRANDE DO NORTE (1) Honestidade Dói - http://honestidadedoi.blogspot.com/ RIO GRANDE DO SUL (3) Assuntos Diversos - http://valteman.blogspot.com/ Bergenthal - http://acassg-bm-bergenthal.blogspot.com/ Blog da Insegurança - http://blogdainseguranca.blogspot.com/ SÃO PAULO (8) Blog do Sargento Lago - http://sargentolago.stive.com.br/ =”_blank”>Cult Cool Freak - http://www.verbeat.org/blogs/cultcoolfreak/ Elite Paralisante - http://eliteparalisante.blogspot.com/ Flit Paralisante - http://flitparalisante.wordpress.com/ Investigador de Polícia - http://www.investigadordepolicia.blog.br/ Ligeirinho Ligeirinho - http://ligeirinho-ligeirinho.com/ Polícia Judiciária Independente - http://policiajudiciariaindependente.blogspot.com/ Sargento Filipino - http://sgtpmespfilipino.blogspot.com/ SERGIPE (2) Batalhão de Choque da PMSE - http://choque-pmse.blogspot.com/ Capitão Mano - http://capitaomano.blogspot.com/ ANÔNIMOS/DESCONHECIDOS/INTERNACIONAIS (3) Depoimento Anônimo - http://depoimento-anonimo.blogspot.com/ Policiais em missão de paz - http://missaodepaz.wordpress.com/ Como já disse, a lista está sujeita a erros, omissões, principalmente. Caso algum leitor perceba qualquer falta – ou o próprio dono do blog – mande-nos email para abordagempolicial@gmail.com e prontamente editarei a lista. Além disso, deixo aqui a sugestão e o incentivo para que os policiais dos estados que ainda não possuem blogs policiais criem os seus – ou que expandam o número dos já existentes. Trata-se de uma nova oportunidade de se expressar e se relacionar profissionalmente. Se tiver dúvidas no processo de criação de um blog também mande um email, ou deixe um comentário aqui. Quanto mais blogs, a Blogosfera Policial terá mais poder de mobilização.
O grande vilão da criminalidade hoje, sem sombra de dúvidas, é o tráfico de drogas. A eficiência no combate ao comércio ilegal de entorpecentes inevitavelmente provocaria uma queda abrupta em vários outros crimes, sobretudo homicídios, furtos e roubos. Porém, não temos visto grandes progressos nessa área, e de quem é a responsabilidade? A Constituição Federal é clara no inciso II do parágrafo 1º do artigo 144, destinando a Polícia Federal a “prevenir e reprimir o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, o contrabando e o descaminho, sem prejuízo da ação fazendária e de outros órgãos públicos nas respectivas áreas de competência”. Será que essa obrigação está sendo cumprida satisfatoriamente? Por que o tráfico cresce tanto pelo país? Polícia Federal: apreende muitas drogas A Polícia Federal é tida como referencial de eficiência no país, dispondo de equipamentos diferenciados, boa remuneração, toda uma estrutura que favorece a prestação de um serviço de excelência. Delegados federais constantemente são nomeados como secretários de segurança pública nos estados, dada a estima cultivada por muitos governantes acerca de suas capacidades. Acabam por impedir que coronéis da reserva ou delegados aposentados assumam essas funções, rol de profissionais experientes e capacitados com elevado conhecimento sobre os desafios enfrentados pelas polícias estaduais. Esse impedimento deve surgir, em parte, da disputa de vaidades e falta de integração entre as corporações, que ao deixarem de alcançar um consenso sobre alternância no poder ou como estabelecer uma política favorável a todos, gerando lobby com poder de barganha suficiente para forçar governadores a nomeá-los para SSP, acabam por abrir espaço para que um terceiro assuma a função que lhes poderia ser confiada. Delegados federais e generais do exército têm suficiente conhecimento dos problemas que a PC e a PM enfrentam no seu cotidiano? Acredita-se que não, eles nunca atuaram nos batalhões e delegacias dos estados, fatalmente estão à parte do que ocorre no cotidiano, talvez até acostumados com as vantagens e condições ideais das funções anteriores, podendo ter falsa impressão da realidade. * * * Repensando no tráfico, nem sempre a Polícia Rodoviária Federal corresponde à suposta confiança que lhe é depositada, permitindo que cargas de drogas e armas circulem por todo país. Faltam maiores conhecimentos para determinar se há limitações de ação, ou até se os resultados estão alcançando as metas, mas ações simples, como abordagens preventivas constantes, no intuito de verificar documentos e realizar busca de material ilícito, nem sempre são vistas. Sim, fazem grandes apreensões, talvez por dispor de uma inteligência bem estabelecida, ou então interceptam “cartas marcadas”, após delação ou denúncia. Quem costuma trafegar por rodovias sabe que o clássico em alguns postos da PRF é encontrar os agentes sentados tranquilamente em seu interior, saindo para atuar quando há acidente ou para instalar radares eletrônicos móveis, e finalmente nas tradicionais e repetitivas aparições a cada feriadão, reforçando os mesmos conceitos e fazendo balanços ao final de cada período. Sabe-se que costumam sofrer com falta de efetivo, por exemplo, mas quanto a viaturas, salários, armamentos, muita coisa parece estar próxima do ideal. Polícia Rodoviária Federal: também faz boas apreensões Por sua vez, a Polícia Federal costuma ter suas aparições na imprensa vinculadas a operações de destaque, com nomes curiosos, que levam à prisão criminosos do alto escalão, grandes sonegadores, autoridades corruptas, gente influente na sociedade. É um trabalho muito importante, mas no campo do tráfico de drogas, indubitavelmente maior desafio nacional, e quiçá do mundo, como andam as atividades? A maconha, apesar de produzida em larga escala no país, tem chegado do Paraguai, bem como a cocaína costuma vir da Bolívia, além de tantas armas que adentram as fronteiras do Brasil com facilidade. Polícia Civil: cumpre sua parte na repressão Os estados criaram delegacias especializadas na repressão desses crimes, a própria PM costuma dispor de tropa diferenciada apta a realizar esse tipo de ação, e as apreensões são constantes, bem como prisões de quadrilhas e traficantes locais, tudo fruto do trabalho de policiais civis e militares por todo país. Talvez a imprensa, a sociedade, e pior, autoridades da cúpula, não estejam atentando devidamente para essa questão. Polícia Militar: da mesma forma. Vitórias? A PF e a PRF cumprem importante função no país, igualmente o EB tem muito valor para a nação, mas em cada estado, quem tem feito a diferença, ainda que sem o devido reconhecimento, é a PM e a PC. Discordâncias são aceitas, a intenção jamais é de diminuir o trabalho realizado pelos colegas federais, mas apenas colocar no devido lugar a parcela de participação que cada um tem hoje no combate ao tráfico de drogas.
Finalmente a Polícia Civil da Bahia teve êxito em suas reivindicações e protestos: foi aprovada na última terça-feira (13/01) a tão almejada Lei Orgânica. Agora haverá a exigência de ensino superior para ingressar na instituição. Além disso, “Entre as principais mudanças estão a transformação do órgão em Regime Especial de Administração Direta, o que concede autonomias funcional, administrativa e financeira, e a reestruturação da carreira. A partir de agora haverá cinco níveis de gerência: Órgãos de Direção Superior, Gestão Estratégica, Suporte Operacional e Unidades Operativas, além da criação de conselhos e departamentos. A medida assegura ainda aos servidores garantias como assistência judiciária, atendimento médico ambulatorial e hospitalar e cria a gratificação por titulação, que consiste em diferenciar as faixas salariais por nível de escolaridade dos trabalhadores.” Clique aqui para fazer o download da Lei Orgânica. * * * Como já tratei do assunto aqui e aqui, apenas transcrevo o post do Sr. Major da PMERJ Wanderby. Cada um tire suas próprias conclusões: “Caros Srs Sou Major de Polícia Militar do Rio de Janeiro e tenho sofrido não poucos problemas em razão de meu engajamento em mobilizações cívicas em busca de condições menos indignas de prestação de serviço à população por parte dos bombeiros e policiais militares de meu estado natal e do exercício de direitos que acredito haverem sido consagrados a todos os meus patrícios, independentemente de opção religiosa, sexual, política ou mesmo laborativa, pela Constituição do Brasil. Faz mais de dois anos que tenho um blog pessoal (www.wanderbymedeiros.blogspot.com), no qual insisto em expor o que penso sobre várias questões, inclusive, sobre indícios de corrupção no meio policial, sobre a falta de preparo do governador Sérgio Cabral para o cargo que acupa e sobre a desastrosa ‘política de segurança pública’ implementada em sua gestão. Como pode ser verificado nos links do próprio blog (barra da direita), minha conduta já rendeu três punições disciplinares (as primeiras após mais de dezenove anos de carreira) e um primeiro processo na Justiça Castrense (crítica indevida - art 166 do Código Penal Militar, evidentemente não recepcionado, in casu, pela Constituição Federal de 1988). Recentemente, fui surpreendido com novo ato de meus algozes. O Boletim Reservado da Polícia Militar do RJ n.º 01, de 06Jan09, estampou (pág. 12) novo indiciamento em razão do art 166 do CPM (crítica indevida), por haver postado em meu blog ‘comentário desrespeitoso à autoridade máxima do Estado do RJ’, ao declarar que o governador está despreparado para o exercício do cargo que ocupa e por ‘tecer comentários desfavoráveis à política de segurança pública’ implantada por seu Secretário de Segurança, ‘criticando publicamente resolução de governo, amoldando-se em prática prevista no Código Penal Militar.’. Eu sei que pode parecer Surreal, mas tal fato está acontecendo no RJ e, em breve, devo ter minha liberdade de locomoção cerceada pelo Comando da PM (administrativamente) em face da imputação supra, sem prejuízo da inauguração de mais um custoso processo penal militar.Gostaria de solicitar auxílio para que a questão seja alçada às instâncias competentes dos organismos internacionais de direitos humanos, pois meu direito elementar à liberdade de expressão (objeto da Carta Magna do Brasil e da Convenção Americana de Direitos Humanos de 1969, ratificada por meu país em 1992) está sendo alvo de flagrante lesão e, mesmo assim, eu não vou deixar, em hipótese alguma, de continuar a manifestar o que penso, de sorte que não posso prever até que ponto poderão chegar meus algozes.Além do mais, os resultados da política de segurança implementada no RJ não parecem demonstrar que estou errado! Wanderby Braga de Medeiros Cidadão brasileiro e militar de polícia no RJ” Leia o texto no blog do Major Wanderby. * * * Há quem faça a comparação metafórica das mulheres com as armas de fogo. Sensíveis, perigosas, agradam quando estão ao nosso lado, e incomodam bastante quando estão contra nós, homens. Mas acho que o fetiche e a admiração por mulheres manuseando armas de fogo passa mais pelo contraste da imagem de ser indefeso, incapaz de agredir, que culturalmente criamos para a mulher, junto com um objeto capaz de matar. Para os que gostam de admirar esse contraste, fizemos uma compilação de algumas imagens (ver abaixo) onde belas mulheres estão posando ao lado de armas. Para quem não se contentar com nosso slide show, sugiro a visita ao tópico “Melhor que bela arma é uma bela armada“, da comunidade do Orkut “Armas de Fogo”, onde fotos de várias beldades são expostas pelos usuários. Há também um site norte-americano chamado Gun Girls, destinado somente a publicar esse tipo de imagem. Ainda quer mais? Clique aqui para se esbaldar também no Google Imagens. Post feito com a ajuda do Patrulheiro.
O plano de fundo é conhecido e previsível: dois personagens que se encontram no início da trama acabam traçando trajetórias avessas uma à outra, e assim que cada um alcançar o ápice de suas escaladas se encontrarão e entrarão em confronto. Basicamente, "A Lei e o Crime", exibido na última segunda (05/01) na Rede Record, gira em torno desse contexto. Nando (Angelo Paes Leme) – que foi mal treinado para interpretar um ex-paraquedista do Exército – perdeu o emprego, matou o sogro e foi se esconder do cunhado policial no morro, onde acabou se tornando o "dono da boca". Catarina (Francisca Queiroz), uma dondoca rica, formada em Direito, que resolve se tornar delegada de polícia após ter o pai morto. Por quem? Por Nando. Numa entrevista dada no enterro de seu pai ela desabafa dizendo que vai agir para mudar a situação da violência no país. O repórter, depois dos lamentos da moça, pergunta o que ela pretendia fazer – numa cena um tanto patética, como se estivesse entrevistando o Superman, ou, no mínimo, o Presidente da República -, e ela diz que não sabe, mas que vai fazer. Acaba se tornando delegada, apesar da linhagem nobre de sua família. Alguns erros e peculiaridades demonstram certa falta de cuidado na elaboração da minissérie: - Catarina aparece no stand de tiro da Polícia Civil (?) atirando, mas quando pára de atirar ela tira o abafador de ruídos, enquanto os demais atiradores continuam disparando – o que faz parecer que apenas os tiros dela produzem ruído; - Angelo Paes Leme está mal preparado, é um Capitão Nascimento piorado – talvez os autores não tiveram assessores com a noção do preparo dum Cabo PQD do Exército. Até no modo de segurar o fuzil ele erra; - O confronto entre os traficantes tem a mesma irrealidade de muitos filmes americanos mal preparados – mas A Lei e o Crime perde por não conseguir passar muita emoção ao espectador. Como sempre, o efeito e a capacidade real dos armamentos são ignorados; - Catarina, que se diz formada em Direito, diz num dado momento que está sendo acusada de "crime de morte", o que provavelmente deve querer dizer "homicídio"; - Quando Nando vai matar o traficante rival na favela, é inevitável o paralelo entre aquela cena e o final de Tropa de Elite, onde ficou célebre a frase: "na cara não, chefe, pra não estragar o velório". O primeiro episódio não mostrou muita coisa relacionada ao dia-a-dia policial, à essência da profissão, por assim dizer. Ainda fica a expectativa de ver abordada uma problemática típica das polícias civis brasileiras: uma delegada sem formação policial, nem qualquer experiência na área, assumindo uma delegacia com vícios, problemas e poucas soluções. Não me parece que A Lei e o Crime tem muito mais do que isso para oferecer nos próximos capítulos, a não ser os joguetes novelescos comuns. Mas vou assistir pelo menos o próximo episódio para confirmar, ou não, a suspeita.
O ano de 2009 chegou, e o Abordagem Policial está preparando muitas novidades para seus leitores. A primeira delas é que estarei no próximo dia 22 de janeiro em São Paulo, compondo, na condição de palestrante, o painel "Blogosfera Policial", no Campus Party 2009 – evento que "é considerado o maior evento de inovação tecnológica e entretenimento eletrônico em rede do mundo". O painel será realizado às 11h, no CampusBlog, e terá a participação do Tenente Alexandre, da PMERJ, autor do Diário de um PM, e do Roger Franchini, da PCESP, autor do Cult Cool Freak. Leia abaixo toda a programação do CampusBlog, publicada no blog do Edney, organizador do evento: Programação Campus Blog Finalmente, depois de algunas semanas de trabalho intenso Edney Souza e Alexandre Inagaki tem o orgulho de apresentar a versão beta da programação do Campus Blog. Ainda tem alguns nomes para confirmar mas a lista abaixo já dá uma boa idéia do que você pode aprontar por lá. Vale lembrar que em todas as apresentações coletivas a idéia é que os participantes somados tenham 20 minutos de exposição e 40 minutos de bate-papo, eles podem estar no palco, mas as verdadeiras estrelas do evento são vocês, que estarão na platéia iniciando as discussões e redefinindo os rumos das mídias sociais em 2009. Todos os painéis abaixo acontecerão em São Paulo/SP, no Centro de Convenções Imigrantes durante a 2ª edição da Campus Party Brasil (19 a 25 de janeiro de 2009). O ingresso custa R$ 150,00 e dá direito a participar das palestras e oficinas de todas as áreas (Astronomia, Blog, Games, Modding, Robótica, Simulação, Design, Fotografia, Música, Vídeo, Desenvolvimento e Software Livre). Mais informações sobre o evento você encontra nesse post: Campus Party 2009 ou no site oficial. Terça Feira - 20/01/2009 10:00 - Oficina - XHTML Laboratório de Mídias Sociais - Cásper Líbero e Unicamp 11:00 - Mobilidade Juliana Vilas (Urblog - Época São Paulo), Rafael Sbarai (Consultor de novas mídias da Veja) Moderadora: Bia Kunze (Garota Sem Fio) 14:00 - Interações, conteúdo e autoridade na blogosfera brasileira Alex Primo (UFRGS) 15:20 - A influência das mídias sociais nas publicações Silvia Bassi (IDG), Sandra Carvalho (Editora Abril), Marco Chiaretti (Grupo Estado), Marcelo Gomes (Meio & Mensagem) Moderador: Tiago Dória (IG) 16:35 - Podcast Maestro Billy (DJ do Caldeirão do Huck e presidente da ABP), Alexandre Ottoni e Deive Pazos (Jovem Nerd), Guilherme Felitti e Daniela Braun (Podcast IDG Now!) Moderador: Cristiano Dias (Vilago e Enxame.tv) 17:50 - Bate papo com Ricardo Noblat Ricardo Noblat (Blog do Noblat, O Globo) Moderador: Jorge Rocha (UNA) Quarta Feira - 21/01/2009 10:00 - Oficina - CSS2 Laboratório de Mídias Sociais - Cásper Líbero e Unicamp 11:00 - Mídias Sociais nas corporações Roberto Machado (DoceShop), Oswaldo Gouvêa de Oliveira Neto (Peabirus), Stelleo Tolda (Mercado Livre) Moderador: Fábio Seixas (Camiseteria) 14:00 - A construção da reputação, dos públicos e da moral blogueira Fábio Malini (UFES) 15:20 - Uso de mídias sociais na publicidade Marcelo Tripoli (iThink), Lucas Mello (LiveAD), Mentor Muniz Neto (Bullet), Gustavo Fortes (Espalhe) Moderador: Carlos Merigo (Brainstorm#9) 16:35 - Uso de blogs em sala de aula Eric Messa (FAAP), Bárbara Dieu (Beespace), Luiz Biajoni (Instituto Macuco), Claudir Segura (PUC-SP) Moderador: Bob Wollheim (Sixpix Content) 17:50 - Mídias Sociais nas Eleições Rogério Bonfim (VirtualNet - desenvolvedora das apps do Google Eleições 2008), Juliano Spyer (coordenou a campanha em mídias sociais do prefeito reeleito de São Paulo Gilberto Kassab), Soninha Francine (ex-vereadora e ex-candidata à Prefeitura em São Paulo) Moderador: Julio Daio Borges (Digestivo Cultural) Quinta Feira - 22/01/2009 10:00 - Oficina - Como criar um blog: ferramentas Paulo Henrique Alkmin (Responsável pelos Blogs WTF Brasil e Guravehaato desu ka?, programador da Polvora! Comunicação e suporte do InterNey Blogs) 11:00 - Blogosfera policial Alexandre de Sousa (Diário de um PM), Roger Franchini (Cult Cool Freak), Danillo Ferreira (Abordagem Policial) 14:00 - Microblogs e Lançamento do Livro Digital Blogs.com de Raquel Recuero, Adriana Amaral e Sandra Montardo Raquel Recuero (UCPel) 15:20 - Monetização e programas de afiliados Leonardo Galvão (Mercado Livre), Thiago Lobão (Buscapé), Juliano Motta (UOL), Ricardo Wright (Google Adsense) Moderador: Marcos Tanaka (Boo-Box) 16:35 - O direito conhece a internet? Renato Opice Blum (Opice Blum Advogados Associados), Fernando Gouvêa (Imprensa Marrom - blog que já foi processado e julgado por comentários de terceiros, advogado do caso Twitter Brasil), Ronaldo Lemos (FGV, Creative Commons, Overmundo), Ivo Corrêa (advogado do Google Brasil) Moderador: Francisco Madureira (jornalista responsável pelos blogs do UOL) 17:50 - Relações Públicas 2.0 Mário Soma (RMA Comunicação), Thiane Loureiro (Edelman), Eduardo Vieira (Agência Ideal) Moderador: Eduardo Vasques (TV1) Sexta Feira - 23/01/2009 10:00 Oficina - Redação para blogs Gustavo Jreige (responsável pelo blog Outros Olhos, freelancer do Globo.com e Estadão, gerente de conteúdo da Polvora! Comunicação) 11:00 - Blogs e Celebridades Alessandra Félix (Dolls), Rosana Hermann (Querido Leitor), Phelipe Cruz (Papel Pop) Moderador: Nick Ellis (Digital Drops) 14:00 - Empreendedorismo pessoal e engenharia social Gilberto Knuttz (Uêba, Xpock, Cybervida) 15:20 - Estratégias de mídias sociais nos portais Caio Túlio Costa (IG), Guilherme Ribenboim (Yahoo! Brasil), Paulo Castro (Terra), Juarez Queiroz (Globo.com), Osvaldo Barbosa (MSN Brasil) Moderador: Manoel Fernandes (Revista Bites) 16:35 - Internet is for Porn? Alessandro Martins (Pink, The Kinky), Zander Catta Preta (IG Sexo), Fernanda Lizardo (Sexto Sexo), Raquel Pacheco (Bruna Surfistinha) Moderador: Edgard Reymann (Sax Magazine, e ex-editor das revistas Sexy Premium e Playboy) 17:50 - Literatura na blogosfera Albano Martins Ribeiro (Os Vira Lata), Fal Azevedo (Drops da Fal), Marcelo Duarte (Guia dos Curiosos e Editora Panda Books) Moderador: Augusto Sales (Paralelos) Sábado - 24/01/2009 10:00 - Oficina - Otimização de blogs para mecanismos de buscas usando Wordpress Paulo Rodrigo Teixeira (Marketing de Busca autor do livo SEO - Otimização de sites) 11:00 - O universo feminino nas mídias sociais Lúcia Freitas (LuluzinhaCamp), Clarissa Passos (Garotas que dizem Ni), Cristiana de Souza Guerra (Para Francisco), Sam Shiraishi (A Vida Como A Vida Quer e MdeMulher) Moderadora: Liliane Ferrari (jornalista e produtora cultural) 14:00 - Blogs no exterior Beto Largman (O Globo - Brasil), Benjamin Junior (Sapo - Portugal), Francesco Magnocavallo e Giselle Ribeiro (Blogo.it - Itália) 15:20 - O uso do blog para publicar quadrinhos Cadu Simões (Homem Grilo e Quarto Mundo), Arnaldo Branco (G1 - Mundinho Animal), Clara Gomes (Bichinhos de Jardim), Karlisson Bezerra (Nerdson) 16:35 - Ética e jornalismo: da gênese à nova mídia Caio Túlio Costa (Cásper Líbero) 17:50 - Tendências em aplicações sociais Manoel Lemos (Webco) 20:00 - Cerimônia - Entrega do Prêmio Best Blogs Brazil aos melhores blogs em 30 categorias eleitos pelo juri popular e pelos palestrantes do Campus Blog. Co-organizadores: Cynara Peixoto (Mundo Tecno) e Wagner Fontoura (Boombust, Coworkers e Riot) Dúvidas sobre algum painel? Fique à vontade para perguntar nos comentários. Assim que novas pessoas confirmarem suas participações irei atualizar esse post. :) Ainda não se inscreveu? Clique aqui e garanta sua participação as vagas com PC não vão durar muito tempo! :)
A mídia e a sociedade costumam ser implacáveis nas críticas aos erros cometidos por policiais em serviço, o que é parcialmente compreensível, uma vez que geralmente envolvem danos, lesões ou até morte, isso se tratando dos casos atinentes ao emprego de força, sobretudo arma de fogo. A dor dos parentes de alguma vítima inocente é realmente alta, a revolta provocada na população é igualmente previsível, mas há de ser considerada uma minorante incontestável: a elevada carga de stress a que se submetem os policiais durante suas ações. Isso vale principalmente para os policiais militares, em especial praças, que agem na ponta do sistema, ostensivamente nas ruas, enfrentando o crime no dia-a-dia. Em segundo plano, atinge policiais civis, e em algumas localidades também guardas civis, quando fazem uso da força em serviço. Em último caso, chega às polícias federal e rodoviária, em cujo cotidiano não há presença constante de enfrentamentos físicos ou bélicos. Não só os agentes de segurança pública incidem em erros, as demais profissões também são marcadas por atitudes que geram resultados indesejáveis, acarretando em lesões a alguém. PMBA na Operação Saneamento: o que pode sair daquela casa? – Foto: Correio Médicos eventualmente se equivocam em diagnósticos, mais ainda aqueles que atendem situações de urgência em hospitais, submetendo-se a pressões diversas durante as intervenções, nem sempre bem-sucedidas. Um juiz às vezes erra na cominação de pena a um condenado, seja imputando um castigo maior do que o devido, ou pior, ao declarar culpado algum inocente. Equipes de socorristas, por mais experientes e treinadas que sejam, vez ou outra tendem a falhar no atendimento pré-hospitalar de vítimas de acidentes, podendo assim comprometer eternamente sua saúde. Como visto, são várias, senão todas, as carreiras onde um desacerto pode comprometer outrem; mas o que torna as fatalidades policiais merecedoras de ao menos uma análise diferenciada? O fato dos profissionais estarem em uma situação de elevado risco às suas próprias vidas. Parece óbvio, mas muito desconsideram que, conforme os exemplos, médicos, juízes e socorristas não enfrentam risco iminente de serem agredidos enquanto prestam seu serviço, no geral não há uma ameaça real ou potencial de terem suas vidas ceifadas enquanto trabalham. Alguns dispõem até mesmo de todas as condições ideais de conforto para tomada de decisões, como material de consulta ao alcance, ambiente adequado para o trabalho, tempo suficiente para discutir com outros especialistas e enfim se decidirem por qual caminho tomar. RONDESP progredindo em favela: pontos de perigo iminente? Todos. – Foto: PMBA Entrementes, a tensão do policial que vê zunindo ao seu redor o temido rastro sonoro dos projetéis disparados contra ele o torna suscetível de respostas imediatas ou instintivas, nem sempre controláveis, por mais treinamento e preparo que se tenha. Essa consciência falta a muitos repórteres, jornalistas e até mesmo, perigosamente, a autoridades judiciárias, que chegam a esperar uma conduta plenamente racional e calculada em situações de alto risco. Não há como pensar em tudo no transcurso de uma ocorrência, nem sempre é de se presumir que primeiro a guarnição receba disparos por parte dos meliantes ou sofra agressões para então adotar uma postura reativa e matematicamente proporcional. Às vezes, frações de segundo de indecisão podem custar a vida dos agentes da lei, na calada da noite, no silêncio de um matagal, na tensão de uma favela ou na adrenalina de uma perseguição. A responsabilização civil, penal e administrativa continua a existir na etapa posterior ao fechamento de cada ocorrência supostamente malsucedida, mas todo esse arcabouço de pressões deve suplantar as condenações precipitadas que vezeiramente acabamos por consentir nas transmissões midiáticas.