Especial Armas de Fogo – Bala, Projétil, Munição, Cartucho…

139 Flares 139 Flares ×

Saudações aos leitores que vem acompanhando nosso Especial Armas de Fogo, que hoje vem com um pequeno atraso, por não ter sido possível a publicação na terça-feira. De qualquer modo, vamos ao tema desta edição: a diferença entre alguns termos relativos às munições.

É comum observarmos, mesmo por policiais já experientes o mau emprego de termos como “estojo”, “projétil”, “cartucho” etc. Para sanar essa dúvida entre nossos leitores, aí vai um pequeno glossário explicativo do que significa algumas dessas palavrinhas que muitas vezes nos confunde:

Cartucho

Vamos começar definindo cartucho, a unidade de alimentação duma arma de fogo. Um cartucho é composto por estojo, propelente, projétil e espoleta. Esse conjunto de artefatos resultará no necessário para a realização de UM disparo com uma arma de fogo. Acima, você vê um cartucho de calibre 7,62.

Projétil

Como disse acima, o projétil é apenas uma parte do cartucho. É ele que transfixa o alvo, é a “ponta” móvel (no caso de cartuchos de revólveres e pistolas) que se desprende do cartucho quando a arma de fogo é disparada. Acima, um prójetil, após o disparo.

Estojo

O Estojo, que também é parte do cartucho, é o que vulgarmente se chama de “casca” do cartucho. É o compartimento onde a pólvora – propelente – é armazenada, e é ejetado das armas semi-automáticas quando o disparo é efetuado (pistolas), ou, no caso do revólver, a parte que fica no “tambor”.

Espoleta

É a capsula responsável pela chama inicial no interior do estojo, fazendo com que ocorra a queima do propelente (pólvora) e o desprendimento do projétil ao estojo. Geralmente, em estojos dourados, a espoleta é cromada, ficando na parte anterior do cartucho.

Munição

Munição é um termo genérico utilizado para designar um conjunto de cartuchos. Quando dizemos que a “munição” acabou, queremos dizer que não há sequer um cartucho para realizar disparos.

Acredito que a utilização desses termos, além de tornar mais fácil a comunicação, pois ao se referir a qualquer um deles, o atirador está deixando claro a que artefato está se referindo, exibe o grau de profissionalismo de quem lida com armas de fogo. Esqueça, por exemplo, o termo “bala”, que vulgarmente é utilizado como sinônimo de “cartucho”, principalmente se você for policial, já que a terminologia usada é um dos diferenciais entre o profissional técnico e o amador. Além disso, é muito mais elegante.

Especial Armas de FogoO Especial Armas de Fogo é uma série de posts publicados sempre nas terças-feiras, tratando do mundo das armas de fogo e do tiro policial. Caso você tenha sugestões, mande um email para abordagempolicial@gmail.com

Comments

  1. Por Bruno

    Responder
  2. Por FiremanDF

    Responder
  3. Por Calígula

    Responder
  4. Por Victor F. Fonseca

    Responder
  5. Por alex sivaldo bastos

    Responder
  6. Por Leandro

    Responder
  7. Por Cidadão Baiano

    Responder
  8. Por J.Eduardo Martinelli

    Responder
  9. Por JoseEduardo Martinelli

    Responder
  10. Por Claudio

    Responder
  11. Por Tiro Prático

    Responder
  12. Por Thiago augusto Freitas

    Responder
  13. Por cleber

    Responder
  14. Por leo

    Responder
  15. Por COMBAT - ACESSÓRIOS PARA TIRO ESPORTIVO

    Responder
  16. Por Paulo

    Responder
  17. Por luis carlos

    Responder
  18. Por thiago alves rodrigues

    Responder
    • Por Turko Loko

      Responder
  19. Por Turko Loko

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

139 Flares Twitter 3 Facebook 136 Google+ 0 Email -- 139 Flares ×