Tiradentes: Herói ou Mártir?

4 Flares 4 Flares ×

Coluna do Leitor

“Somos herdeiros dos feitos de Tiradentes. A finalidade de nossa formação é: garantir a paz e a ordem pública, protegendo o cidadão do Estado da Bahia. APM! 3ª CIA!!!”. A arma do Aluno-a-Oficial é o Espadim de Tiradentes. Tiradentes é o Patrono Cívico do Brasil e Patrono das Polícias Militares do Brasil: Mesmo com todo esse histórico e o devido reconhecimento, vejo a dúvida (que era inclusive minha) nos rostos de colegas do mesmo ano ou até mesmo mais antigos.

Quem foi Tiradentes e quais são os seus feitos?

Primeiramente, já se pode começar com uma dúvida: Tiradentes é um mártir ou um herói? Vejamos o que a Wikipédia diz:

Mártir: Um mártir é uma pessoa que morre por sua fé religiosa, pelo simples fato de professar uma determinada religião ou por agir coerentemente com a religião que possui.

Herói: é uma figura arquetípica que reúne em si os atributos necessários para superar de forma excepcional um determinado problema de dimensão épica.

Leia mais na Wikipédia

Agora, algo sobre “quem foi” Tiradentes:

Tiradentes é um autêntico herói nacional. Lutou pela independência do Brasil, num período em que nosso país sofria o domínio e a exploração de Portugal. O Brasil não tinha uma constituição, direitos de desenvolver indústrias em seu território e o povo sofria com os altos impostos cobrados pela metrópole. Nas regiões mineradoras, o quinto (imposto pago sobre o ouro) e a derrama causavam revolta na população. O movimento da Inconfidência Mineira, liderado por Tiradentes, pretendia transformar o Brasil numa república independente de Portugal.

Tiradentes foi apenas um bode expiatório de uma revolução que estava mais preocupada com o quinto do ouro das Minas Gerais que era enviado à Portugal. Tiradentes, com poucas influências econômicas e políticas, foi condenado à forca.

Leia mais no Overmundo

* * *

Em primeiro lugar, não acho que Tiradentes seja um herói e sim um mártir. O problema, na minha opinião, é que o país sente-se culpado em respeito a Tiradentes. Sinceramente, ele não foi um herói, ele fez parte de um grupo que tinha seus ideais porque estavam sendo injustiçados. Além disso, esse grupo era influente e possuía cargos e bens na sociedade da época (eram da aristocracia). Se fosse para considerar Tiradentes como um herói, seria mais justo considerar todos que fizeram parte da Inconfidência Mineira como heróis. Tiradentes foi sim um personagem marcante na história do nosso país. Entretanto, não foi ele que confabulou a tentativa de revolução republicana. Ele fez parte do processo. Ele foi um mártir, por isso a importância do mesmo. Sobre sua vida militar, sabe-se que pertenceu ao Regimento de Dragões de Minas Gerais.

O fato é: a Inconfidência Mineira iniciou o pensamento da necessidade de separar-se de Portugal e tornar o Brasil em uma República independente. Tiradentes foi o bode expiatório (por isso o heroísmo) que decidiu morrer (confessar a culpabilidade) para salvar seus companheiros de Inconfidência.

Faz jus todo esse respeito e consideração por Tiradentes? Minha resposta? Faz. Faz porque no país faltam heróis, no país não temos quase ninguém que daria a vida em prol de um objetivo, faltam pessoas que são bons exemplos. Tiradentes é um dos poucos bons exemplos no nosso país. Ser chamado de herói brasileiro é um pouco de exagero, mas como mártir, um excelente exemplo de honra e coragem para tentar mudar algo que não nos agrada, com certeza é mais do que justo. A pergunta é: ele foi Militar e foi morto por Militares (por pensar diferente). Será que a hierarquia e disciplina (seguir todas as ordens) nos aliena (“cola as placas”)? Será que sempre que pensamos diferente, estamos completamente errados e merecemos algum tipo de pena? Como é que faz pra termos uma formação digna e necessária, buscando nossos direitos e ao mesmo tempo não sermos injustiçados? Será que para mudar qualquer coisa sempre tem que ter uma revolução? Alguém tem que morrer?

Percebe-se que os heróis atuais, em sua maioria, e os mais lembrados, estão ligados ao esporte (Pelé, Ayrton Senna etc.). Ainda deve-se lembrar que os que tentam ser “heróis” na nossa vida pública, simplesmente são caçados, ou seja, além de faltar heróis, sobram vilões. Isso é preocupante, porque cada vez mais toma conta de nós o sentimento de desilusão quanto às possibilidades do surgimento de personagens deste naipe (heróis) por razões óbvias.


*Thiago Tavares é Aluno-a-oficial da Polícia Militar da Bahia, atualmente cursando o 1º CFO PM.

Comments

  1. Por Joabas

    Responder
  2. Por Fabiano Santos

    Responder
  3. Por Pessoa

    Responder
  4. Por Virgília de Paula

    Responder
  5. Por DE SOUZA

    Responder
  6. Por Amanda Beatriz

    Responder
  7. Por Lauro Cesar Pedot - Brigada Militar / RS

    Responder
  8. Por ana paula

    Responder
  9. Por Carlos de Feira

    Responder
  10. Por wcaf

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

4 Flares Twitter 0 Facebook 4 Google+ 0 Email -- 4 Flares ×