O salário dos policiais militares da Bahia

35 Flares 35 Flares ×

Existem indícios de que a Polícia Militar da Bahia começa a se mobilizar em prol de uma reivindicação salarial. Dois sinais confirmam tais suspeitas: primeiro, a Associação dos Oficiais da PMBA (Força Invicta) emitiu uma nota em seu site cobrando do Governo do Estado incremento salarial, após a promessa da Secretaria de Segurança Pública de criar uma premiação a ser concedida pelos policiais que atingirem metas de redução de crimes:

Com relação à matéria publicada na edição do dia 08 do corrente mês, sob o título “Polícia boa será premiada com 14º salário em 2012″, a Associação dos Oficiais da Polícia Militar, apesar de concordar com a assertiva atribuída ao Exmº Sr Cel PM Castro, Comandante Geral da PMBA, de que a valorização do homem não parte somente com o dinheiro, evidencia que o profissional de segurança pública precisa ter uma remuneração digna para desempenhar as sua atividades com um maior comprometimento e não apenas uma promessa de uma premiação para se atingir metas estabelecidas pela SSP como se a redução dos índices criminais estivesse apenas ligada ao esforço do contigente policial que, por sinal, já está no limite do ser humano.

Aliado a isso, precisamos que o atual Governo da Bahia, que chegou ao poder com o apoio maciço dos servidores públicos, inclusive dos militares estaduais, demonstre – ainda em 2011 – a tão falada valorização para com a nossa classe que, diuturnamente, trabalha em prol da sociedade baiana, com o risco da sua própria vida.

Leia a nota no site da AOPM-BA…

Outro indício da mobilização é a convocação, pela Associação de Praças (ASPRA), de uma assembleia a ocorrer no próximo dia 24 de setembro, às 14h00, no Ginásio dos Bancários, em Salvador-BA. Segundo os organizadores do evento, que já possui blog e é chamado de “Movimento Polícia Legal”, os seguintes temas serão debatidos na oportunidade: Cumprimento da Lei de Anistia, Salário em forma de Subsídio (já com reajuste), Plano de Carreira (Praças e Oficiais), Implantação do Código de Ética.

As manifestações e mobilizações são pertinentes? Sem dúvida. Os policiais militares da Bahia não ganham um salário justo, correspondente com a função que desempenham, proporcional às necessidades elementares que um policial não pode deixar de suprir, principalmente moradia em localidade menos vulnerável ao crime, transporte próprio e sustentável para se dirigir ao trabalho ou a suas atividades não profissionais. Cuidados com a saúde física e psicológica, exigência imposta pelo serviço estressante e desgastante. Lazer, educação para os filhos, saúde, alimentação. A profissão policial, além disto, mais que qualquer outra, deve ser reconhecida por um elemento chave: a exposição ao risco de morte. Se a vida não tem preço, vale, pelo menos, conceder a quem a expõe voluntariamente a uma causa coletiva os elementos básicos de sobrevivência. É o mínimo a se exigir.

Para além dos programas que geram popularidade imediata, e até esperança de melhoria a curto e médio prazo na população, através de slogans, cores e propagandas, é preciso admitir que reconhecer o trabalho dos policiais, principalmente e primeiramente com uma política salarial adequada, possui efeitos imediatos no acatamento e atenção a preocupações profissionais mais sofisticadas. Como disse a humilde e célebre professora Amanda Gurgel, dizer que “não podemos ser imediatistas” a um grupo que possui “necessidades imediatas” é um contrasenso. É rechaçar o fundamento básico de toda gestão de pessoas, a batida e conhecida pirâmide das necessidades de Maslow:

Em poucas palavras, a solução das complexidades exigem a solução do simples primeiramente. Os policiais militares baianos têm o direito de exigir reconhecimento e valorização, como sugerem as entidades já citadas. Para resultados efetivos, entretanto, tais manifestações não podem se resumir à minoria, pois o silêncio pode ser confundido com satisfação e normalidade. Outras lideranças devem interagir com essas vozes aparentemente isoladas, e cobrar do governo diálogo e atenção. Como afirma o senso comum, “quem não chora, não mama”.

Comments

  1. Por Victor F. Fonseca

    Responder
  2. Por SDPMCE

    Responder
  3. Por Sd Bruxo

    Responder
  4. Por Igor Nolasco

    Responder
  5. Por Sd Black Ba

    Responder
  6. Por Thiago Martins

    Responder
  7. Por SARGENTO GARCIA

    Responder
  8. Por Reinaldo

    Responder
  9. Por david

    Responder
  10. Por mingau

    Responder
  11. Por AMANDA

    Responder
  12. Por SdPMAM Jones Leite

    Responder
  13. Por marques

    Responder
  14. Por Edson

    Responder
  15. Por João

    Responder
  16. Por PONTO40

    Responder
  17. Por Rodrigo Lima

    Responder
  18. Por PM

    Responder
  19. Por severino

    Responder
  20. Por Ramos

    Responder
  21. Por AL OF PM

    Responder
  22. Por Marcos Paulo

    Responder
  23. Por Marcos Paulo

    Responder
  24. Por AL OF PM

    Responder
  25. Por João

    Responder
  26. Por sd prisco

    Responder
  27. Por Yende

    Responder
  28. Por SGT REURY DAS ANTIGAS - PMBA (R/R)

    Responder
  29. Por SGT REURY DAS ANTIGAS - PMBA (R/R)

    Responder
  30. Por antonio muniz

    Responder
  31. Por anilson machado de oliveira 1º sgt reformado

    Responder
  32. Por ailton

    Responder
  33. Por JON

    Responder
  34. Por J.P.C

    Responder
  35. Por ROBERVAL

    Responder
  36. Por Carlos CM

    Responder
  37. Por Sd PMBA Mascarenhas

    Responder
  38. Por Sgt Leal

    Responder
  39. Por Sgt Romenil PMBA

    Responder
  40. Por clóvis silva

    Responder
  41. Por jiuvano

    Responder
  42. Por CARCARÁ

    Responder
  43. Por avalon

    Responder
  44. Por ednaldo francisco rosa

    Responder
  45. Por wm

    Responder
  46. Por Matheus

    Responder
  47. Por Joao eduardo

    Responder
  48. Por Joao eduardo

    Responder
  49. Por Joao eduardo

    Responder
  50. Por Leidymar Nascimento dos Santos

    Responder
  51. Por bel

    Responder
  52. Por Ladislau do Vale batista

    Responder
  53. Por policial revoltado com coverdia

    Responder
  54. Por policial revoltado com coverdia

    Responder
  55. Por policiais temos que saber reivindicar

    Responder
  56. Por Leal

    Responder
  57. Por sd pm correia

    Responder
  58. Por Elias

    Responder
  59. Por junior

    Responder
  60. Por Arlindo Reis

    Responder
  61. Por Eliene Souza

    Responder
  62. Por Roberto

    Responder
  63. Por Ex Policial Militar

    Responder
  64. Por AFONSO CESAR SOUZA BONACHELLA

    Responder
  65. Por Antonio Belo da Silva

    Responder
  66. Por renilda santana

    Responder
  67. Por grece

    Responder
  68. Por grece

    Responder
  69. Por grece

    Responder
  70. Por se ligue

    Responder
  71. Por se ligue

    Responder
  72. Por barbosa

    Responder
  73. Por Cesar

    Responder
  74. Por Cesar

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

35 Flares Twitter 6 Facebook 26 Google+ 3 Email -- 35 Flares ×