PM de Sergipe muda lei e 18 coronéis para a reserva remunerada

80 Flares 80 Flares ×

Existe uma reclamação entre as gerações mais recentes de boa parte das polícias militares brasileiras que se refere ao engarrafamento nas promoções, em virtude da continuidade na ativa de oficiais que já possuem o tempo de serviço necessário para irem à reserva remunerada. O problema é que muito destes oficiais permanecem na ativa porque a política salarial dos governos estaduais são pautadas em gratificações que não possibilitam uma equidade entre o salário percebido na ativa e o salário percebido na reserva: muitos oficiais que até desejariam se aposentar, chegariam a perder cerca de 40% do salário se fossem para a reserva remunerada.

O Governo do estado de Sergipe tomou uma medida que fez com que 18 coronéis “fechados” fossem para a reserva, aumentando o fluxo nas carreiras da corporação: o oficial que contar com mais de 25 anos de serviço e estiver exercendo a função de Comandante Geral ou Chefe de Estado Maior, ou ser Oficial Superior mais antigo do que os oficiais que estiverem exercendo estas funções, terá direito, uma vez transferido à reserva remunerada, a proventos integrais e demais garantias previstas na legislação.

Em Sergipe, qualquer oficial superior que seja mais antigo que o Comandante Geral, e possua pelo menos 30 anos de serviço, é obrigado a ir para a reserva. A diferença é que agora esta passagem não ocorre com perdas salariais, evitando que aqueles que não desejam permanecer na ativa o façam apenas por complementação salarial. Só para se ter uma ideia de como a situação anterior causava transtorno, o estado possuía mais coronéis na ativa do que vagas disponíveis:

De acordo com o governador Marcelo Déda, a lei complementar “inaugura um novo tempo” na Polícia Militar de Sergipe, pois cria as condições para uma renovação no comando da instituição. “Além disso, a nova legislação cria mecanismos para regular e legalizar uma situação que já há algum tempo vinha trazendo transtorno para a nossa polícia, já que tínhamos em Sergipe um número de coronéis acima das vagas que a lei previa”, explicou o governador.

Leia mais…

Após ter aprovado um salário base de cerca de R$3.000,00 para o soldado PM, o estado de Sergipe toma mais uma iniciativa que demonstra preocupação com sua tropa, desafogando o quadro de promoções do seu oficialato. Embora nem sempre as “novas gerações” realizem práticas muito melhores que os mais antigos, é importante possibilitar a quem quer sair a dignidade necessária, limitando o tempo de permanência na ativa de cada oficial. Parabéns ao governo sergipano.

Comments

  1. Por bubu

    Responder
  2. Por Victor F. Fonseca

    Responder
  3. Por Sd Bruno

    Responder
  4. Por SD Vinicius PMGO

    Responder
  5. Por Fábio Nilo

    Responder
  6. Por Sargento Garcia

    Responder
  7. Por Soldado Moraes

    Responder
  8. Por marcelo

    Responder
  9. Por Abrahão Farias

    Responder
  10. Por Ivanildo

    Responder
  11. Por POLICIAL MILITAR - PMAL

    Responder
  12. Por POLICIAL MILITAR - PMAL

    Responder
  13. Por Ewerton Monteiro

    Responder
  14. Por SD PM

    Responder
  15. Por Silva Júnior

    Responder
  16. Por Brasil

    Responder
  17. Por Iron Pereira Godinho

    Responder
  18. Por Pedro

    Responder
  19. Por Leonardo

    Responder
  20. Por JORGE UBIRAJARA PEDREIRA*

    Responder
  21. Por QAPPROSSIGA!

    Responder
  22. Por SD CAÇADOR DE POMBO SUJO /PM/BA

    Responder
  23. Por Ubiratã

    Responder
  24. Por francisco alves

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

80 Flares Twitter 7 Facebook 71 Google+ 2 Email -- 80 Flares ×