256 cidades do Estado de São Paulo não possuem Delegado 
A quantidade de PMs da reserva no Brasil 
Pernambuco tem alta histórica de homicídios 

Informes

O Abordagem Policial é um blog romântico. Antes de ingressar nos quadros da corporação que hoje sirvo, apesar de nunca ter cursado qualquer escola de ensino superior, fui ávido leitor da história daqueles que podemos chamar de grandes guerreiros sociais. Não me refiro aos sanguinários cruzados, tampouco aos bravos soldados de Napoleão, mas àqueles homens com o ímpeto de doar um tanto da sua individualidade para o bem comum. Não com armas ou guerra, mas com argumentos, reflexões e idéias.  Em uma palavra, conhecimento. Com essa convicção, cheguei à Polícia Militar, onde me reuni com outros guerreiros, despretenciosamente, e criamos este espaço. Durante esses mais de dois anos, mesmo com a inconstância e falta de parte dos colaboradores, chegamos mais próximo do que nunca do nosso ideal: promover discussão de segurança incluindo os vários interessados, tendo como foco e única beneficiada a coletividade. Podemos dizer que estamos no caminho dos exemplos daqueles "grandes guerreiros sociais". O sinal mais concreto disso se manifestou esta semana, com a publicação do estudo "Blogosfera Policial no Brasil: do Tiro ao Twitter", realizado pela Unesco em parceria com o CESeC, tendo como condutoras do estudo as pesquisadoras Silvia Ramos e Anabela Paiva, do CESeC. O estudo é a primeira publicação da Série "Debates CI: Comunicação e Informação", fato que tem uma simbologia ímpar, reconhecendo nós, blogueiros policiais, como protagonistas duma nova postura na discussão da temática no Brasil, como disse o coordenador do Setor de Comunicação e Informação da UNESCO no Brasil, Guilherme Canela: "O estudo apresenta uma contribuição concreta para se trilhar o caminho na direção de uma esfera pública capaz de levar adiante uma reflexão robusta sobre políticas da mais alta relevância para promoção de uma cultura de paz e, por conseguinte, para a redução da violência." Junto com o Tenente Alexandre, do Diário de um PM, o Soldado Niedson, do Diário do Stive e o Roger Franchini, do Cultcoolfreak, participei de conversas virtuais maravilhosas sobre a blogosfera e sobre temas como liberdade de expressão policial, abertura institucional, hierarquia nas polícias etc., sempre sob o estímulo da Silvia e da Anabela, que colheram muito bem nossa visão e intenções enquanto autores de blogs policiais. Ressalte-se também nossa participação no III Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e na 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública, ambientes que souberam valorizar os blogs como uma extensão permanente da discussão democrática que propunham. O estudo está dividido nas seguintes partes: Apresentação; Resumo executivo; Introdução; Perfil do blogueiro policial; Perfil dos blogs policiais; O impacto dos blogs policiais nas polícias, na mídia e a sociedade; Conclusões; Bibliografia. Podemos dizer que essa é a radiografia do impacto dos blogs nas corporações policiais brasileiras, e no sistema de segurança pública como um todo. Assim como é exagero afirmar que temos grande influência, também é acertado dizer que mudanças significativas já foram implementadas em virtude de nossa atuação. Não somos, nem mesmo juntos, um grande jornal, mas já podemos falar sem amarras que antes existiam. As queridas Anabela Paiva e Silvia Ramos, e todos aqueles que apoiaram o estudo, revitalizaram nossos ânimos, e mostraram que podemos construir muito. Parabenizo e agradeço a ambas por nos provar que vale a pena investir nos argumentos, nas reflexões, nas idéias... Enfim, no conhecimento. Continuamos por aqui, como disse, românticos. PS1: Veja a matéria que o Observatório da Imprensa publicou sobre o estudo: Pesquisa mostra que blogosfera policial tornou-se um grupo de pressão dentro da estrutura de segurança pública. PS2: Lembrem-se: estamos apenas começando! :D
O Orkut é a rede social mais popular do Brasil, e não por acaso é a mais utilizada por policiais para discutirem assuntos relacionados a polícia e segurança pública. O recente movimento realizado na PMSE e o posteriormente tentado na PMBA, teve o orkut como ferramenta-chave nas discussões e planejamento das ações reivindicatórias. A PEC 300 tem uma comunidade com mais de doze mil usuários para discutí-la, o Batalhão de Operações Especiais (BOPE), da PMERJ, tem mais de cinquenta mil pessoas em sua comunidade. Com as possibilidades de interatividade, que vão desde fóruns até anúncio de eventos e enquetes. Por isso, o Abordagem Policial possui sua própria comunidade no orkut, com o intuito de reunir os leitores do blog naquela rede social, e gerar discussões sobre temas que tratamos aqui ou, a critério dos usuários, do que ainda não abordamos. Neste momento, destaco as discussões acerca da desmilitarização das polícias e outra que trata dos aspectos legais que envolvem o uso de uniformes da PM por civis. Além disso, criei uma enquete perguntando aos usuários se eles são a favor ou contra a lavratura do Termo Circunstanciado pelas PM's. Se você ainda não faz parte da comunidade, está perdendo a oportunidade de discutir esses e outros temas, além de poder incentivar nosso trabalho, pois quanto mais leitores na comunidade, maior a quantidade de pessoas se identificando com o blog, e maior é nossa motivação. Clique na imagem e acesse a comunidade.
O Fórum Brasileiro de Segurança Pública acaba de lançar a terceira edição do seu Anuário, uma compilação substancial de dados e informações que fazem um Raio-X da segurança pública no Brasil. O Anuário é um documento importantíssimo dentre as publicações nacionais referentes à segurança, principalmente por realizar uma cuidadosa organização estatística, onde é feito o cruzamento de dados da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), das secretarias de Segurança dos Estados, do Sistema Único de Saúde (SUS), da Secretaria do Tesouro Nacional, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) e dos orçamentos estaduais. Mesmo com as variadas fontes, e a preocupação em realizar a comparação dos dados,os organizadores do Anuário alertam que "vários Estados deixam de apresentar informações, enquanto outros as relatam com deficiência e até metodologias próprias, dificultando a compreensão da realidade". Para orientar o leitor/pesquisador acerca dos estados que ainda possuem esse tipo de deficiência, o Fórum dividiu o Brasil, para efeitos estatísticos, em dois grupos de estados, onde no primeiro grupo se encontram os estados que possuem dados mais robustos e menos conflituosos, e no segundo aqueles que possuem inconsistências e certa carência nos seus sistemas de informação. Abaixo, os estados pertencentes ao primeiro e segundo grupo: GRUPO 1 Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná. GRUPO 2 Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Sergipe, Tocantins. Estatísticas Criminais Na seção de Estatísticas Criminais, o Anuário traz um comparativo entre os anos de 2007 e 2008, levando-se em consideração a quantidade de crimes cometidos, notadamente os crimes dolosos contra a vida. Aqui na Bahia, por exemplo, tivemos um aumento de 15,1% no número de homicídios dolosos em 2008, um dos piores índices do Brasil. O Rio de Janeiro teve um crescimento de 3% e São Paulo se destaca com um decréscimo de 7,8%. Gastos com políticas de Segurança Outra importante seção é a que trata dos investimentos dispensados à segurança pública nos estados brasileiros. Trata-se de uma boa oportunidade para analisar os impactos que a crise por que passou a economia mundial na segurança pública brasileira. Apesar de sabermos que investimento nem sempre representa evolução da paz social, não parece coincidência o já referido aumento dos homicídios na Bahia, já que foi detectado um decréscimo de 48,14% nos gastos com policiamento no Estado. O Rio de Janeiro investiu 103,85% a mais, e São Paulo 57,18% além do que foi gasto em 2007. * * * O Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública ainda traz uma seção dedicada ao sistema prisional e sistemas de medidas sócioeducativas e outra às instituições policiais, onde são analisados desde os salários dos profissionais de segurança pública até o efetivo que as instituições possuem. Por último, este anuário possui um texto de Marcelo Ottoni Durante, intitulado "Avanços e Desafios na Implantação do Sistema Nacional de Estatísticas de Segurança Pública e Justiça Criminal (SINESPJC)". O Fórum Brasileiro de Segurança Pública se destaca, ao prestar esse relevante serviço aos interessados na realidade da segurança pública brasileira. O Anuário é uma rica fonte de informação para os pesquisadores e estudiosos, e uma eficiente ferramenta de monitoramento das políticas de segurança em nível estadual e federal. Como diz a introdução do Anuário: "Cabe-nos explicitar que gestão sem política é tecnocracia e política sem transparência coloca em risco o Estado Democrático de Direito". A contribuição do Fórum é dar mais um passo na direção da transparência e, por conseguinte, na efetivação do Estado Democrático de Direito. FAÇA O DOWNLOAD DO ANUÁRIO DO FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA
A partir de amanhã, sexta-feira, 14 de agosto, até a próxima terça, 18, estarão abertas as inscrições para os cursos EAD SENASP, promovidos pelo PRONASCI, o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania. São 210.000 vagas disponibilizadas neste ciclo, 30.000 a mais que o Ciclo 16, que disponibilizou 180.000 vagas. Só para se ter idéia da procura pelos cursos, no ciclo passado as vagas terminaram em menos de 24 horas - argumento forte para que os leitores policiais do Abordagem se antecipem e já a partir de 00:00 de hoje acessem o Ambiente Virtual da SENASP EAD para se inscreverem. Bolsa Formação A grande procura pelos cursos se dá por eles serem pré-requisitos para que os profissionais de segurança pública recebam o benefício social Bolsa Formação, do Governo Federal, que contempla os policiais que realizarem pelo menos um dos cursos, e que recebam menos de R$1.700,00 brutos de salário, com uma bolsa de R$400,00 durante um ano, renovável por mais um. Leia o post tira-dúvidas do Bolsa Formação e saiba mais sobre o programa. Novos Cursos Neste Ciclo 17 a SENASP traz, como costuma fazer, seis novos cursos para os policiais, a saber: Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes; Papiloscopia 1; Termo Circunstanciado; Capacitação em Educação para o Trânsito; Fiscalização Interestadual de Transportes de Passageiro; e Psicologia das Emergências. Veja a lista de todos os cursos oferecidos, que agora já são 48: 1. Análise Criminal - AC; 2. Aspectos Jurídicos da Abordagem Policial – AJAP; 3. Atuação Policial frente aos Grupos Vulneráveis - APGV; 4. Busca e Apreensão – BEA; 5. Capacitação em Educação Para o Trânsito - CEPT; 6. Combate à Lavagem de Dinheiro – CLD; 7. Convênios - CONV; 8. Crimes Ambientais - CRA; 9. Democracia Participativa - DP; 10. Direitos Humanos – DH; 11. Elaboração de Materiais para Educação a Distância - EMEAD; 12. Emergentista Pré-Hospitalar - EPH; 13. Emergentista Pré-Hospitalar 2 - EPH2; 14. Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes - EESCA; 15. Filosofia dos Direitos Humanos Aplicada à Atuação Policial - FDHAP; 16. Fiscalização Interestadual de Transportes de Passageiro - FITP; 17. Formação de Formadores; 18. Gerenciamento de Crise - GDC; 19. Gestão de Projetos - GP; 20. Identificação Veicular - IDV; 21. Integração das Normas Internacionais de Direitos Humanos na Área de Segurança Pública - IIDH; 22. Intervenção em Emergências com Produtos Perigosos - IEPP; 23. Investigação Criminal 1 - IC1; 24. Investigação Criminal 2 - IC2; 25. Licitações e Contratos Administrativos - LCA; 26. Mediação de Conflitos 1 - MC1; 27. Papiloscopia 1 – PAP1; 28. Planejamento Estratégico - PES; 29. Planejamento Orientado por Problemas (Sara Model) - POP; 30. Polícia Comunitária - PCO; 31. Português Instrumental - PTI; 32. Preservação de Local de Crime VA – PLCVA; 33. Psicologia das Emergências - PDE; 34. Redação Técnica - RDT; 35. Representação Facial Humana 1 - RFH1; 36. Representação Facial Humana 2 - RFH2; 37. Resolução de Conflitos Agrários - RCA; 38. Saúde ou doença: em qual lado você está? VA – SODVA; 39. Segurança Pública sem Homofobia - SPSH; 40. Sistema de Comando de Incidentes - SCI; 41. Sistema e Gestão em Segurança Pública - SGSP; 42. Técnicas e Tecnologias Não Letais de Atuação Policial - TNL; 43. Termo Circunstanciado - TC; 44. Tópicos em Psicologia Relacionados à Segurança Pública - TEP; 45. Tráfico de Seres Humanos VA– TSHVA; 46. Uso das Informações na Gestão das Ações de Segurança Pública – UIG; 47. Uso Progressivo da Força VA – UPFVA; 48. Violência, Criminalidade e Prevenção VA – VCPVA. * * * Tem gente que está pensando em deixar de fazer os cursos por ter recebido aumento salarial, ou porque nunca esteve dentro da faixa exigida (menos de R$1.700,00 brutos) para ganhar a Bolsa Formação. Lembro que, como publicamos aqui, há a expectativa do aumento do teto salarial, incluindo todos aqueles que ganham menos de R$ 5.000,00 brutos entre os aptos para receber a Bolsa. Mas vale lembrar que os cursos são simples de fazer e de grande esclarecimento para qualquer profissional de segurança - já fiz mais de dez deles e posso garantir. Abaixo, alguns links úteis: Clique aqui para acessar a ficha de inscrição. Clique aqui para ler as descrições dos cursos. Clique aqui para acessar o Ambiente Virtual EAD/SENASP.
Em junho deste ano o site da Polícia Militar do Tocantins anunciou que o Ministério da Justiça tinha criado "uma Comissão de estudo para elevação do teto e valor da Bolsa Formação", mas sem dizer quais as pretensões de valores. Agora, através do Diário de um PM, fico sabendo que o teto salarial para se receber o benefício pode ser alterado de R$ 1700,00 para R$ 5000,00 brutos. Caso a medida seja adotada, o programa vai quadruplicar o número de beneficiários. A informação é da colunista do Zero Hora, Ana Amélia Lemos. Leiam: Formação de policiais Os policiais com salários de até R$ 5 mil também terão direito à bolsa-formação, criada pelo Ministério da Justiça para estimular a qualificação profissional desses agentes de segurança. Até agora, 147,9 mil policiais (civis, militares, bombeiros e guardas municipais) tiveram direito aos R$ 400 mensais de auxílio, durante o curso de formação, em todo o país. O limite salarial atual é de R$ 1,7 mil. A proposta do ministro Tarso Genro, encaminhada ao Gabinete Civil, amplia o benefício, que poderá atender 600 mil policiais. Muitos policiais já estão esperançosos com a possibilidade (que há muito tempo povoa as repartições policiais através de boatos). Acredito que as eleições próximas (2010) influenciarão muito nos rumos do PRONASCI, programa em que a Bolsa Formação está incluida. O Ministro da Justiça, Tarso Genro, já anunciou que se canditará ao governo do Rio Grande do Sul, deixando o Ministério, onde alavancou grande parte das das atuais mudanças no sistema de segurança pública brasileiro. Esperamos que não haja solução de continuidade.
Atenção policiais civis, militares, peritos, bombeiros, agentes penitenciários e guardas municipais de todo o Brasil: a partir do dia 08 de maio (sexta-feira), até o dia 12 de maio (terça-feira), estarão abertas as inscrições para o próximo ciclo dos cursos à distância da SENASP (PRONASCI), o ciclo 16. Ao todo, serão disponibilizadas 180.000 vagas, podendo o profissional escolher entre os 41 cursos abaixo: 1. Análise Criminal - AC; 2. Aspectos Jurídicos da Abordagem Policial – AJAP; 3. Atendimento Policial a Mulheres Vítimas de Violência Doméstica – MVV; 4. Atuação Policial frente aos Grupos Vulneráveis - APGV; 5. Busca e Apreensão – BEA; 6. Combate à Lavagem de Dinheiro – CLD; 7. Conflito Agrário - CA; 8. Convênios - CONV; 9. Crimes Ambientais - CRA; 10. Democracia Participativa - DP; 11. Direitos Humanos – DH; 12 - Elaboração de Materiais para Educação a Distância - EMEAD; 13. Emergentista Pré-Hospitalar - EPH; 14. Emergentista Pré-Hospitalar 2 - EPH2; 15. Filosofia dos Direitos Humanos Aplicada à Atuação Policial - DHAP; 16. Formação de Formadores; 17. Gerenciamento de Crise - GDC; 18. Identificação Veicular - IDV; 19. Integração das Normas Internacionais de Direitos Humanos na Área de Segurança Pública - IIDH; 20. Intervenção em Emergências com Produtos Perigosos - IEPP; 21. Investigação Criminal 1 - IC1; 22. Investigação Criminal 2 - IC2; 23 - Licitações e Contratos Administrativos - LCA; 23 - Licitações e Contratos Administrativos - LCA; 25. Planejamento Estratégico - PES; 26. Planejamento Orientado por Problemas (Sara Model) - POP; 27. Polícia Comunitária - PCO; 28. Português Instrumental - PTI; 29. Preservação de Local de Crime – PLC; 30. Representação Facial Humana 1 - RFH1; 31. Representação Facial Humana 2 - RFH2; 32. Saúde ou doença: em qual lado você está? – SOD; 33. Segurança Pública sem Homofobia - SPSH; 34. Sistema de Comando de Incidentes - SCI; 35 - Sistema e Gestão em Segurança Pública - SGSP; 36. Técnicas e Tecnologias Não Letais de Atuação Policial - TNL; 37. Tópicos em Psicologia Relacionados à Segurança Pública - TEP; 38. Tráfico de Seres Humanos – TSH; 39. Uso das Informações na Gestão das Ações de Segurança Pública – UIG; 40. Uso Progressivo da Força – UPF; 41. Violência, Criminalidade e Prevenção – VCP. Novos Cursos Como vem sendo costume, a SENASP adicionou novos cursos neste ciclo, dentre eles, Convênios na área de segurança, Mediação de Conflitos 1; Atuação Policial Frente aos Grupos Vulneráveis; Planejamento Estratégico; e Planejamento orientado por problemas. Aulas Presenciais Após a divulgação de que policiais estavam pagando para que colegas fizessem os cursos, o Ministério da Justiça resolveu modificar o método de avaliação, e agora as provas serão presenciais. Vejam o informativo que foi enviado aos participantes do projeto EAD da SENASP, contendo também outras medidas relevantes: Bolsa Formação Não podemos esquecer que a realização dos cursos à distância da SENASP habilitam os profissionais de segurança pública a receberem a Bolsa Formação, programa do Ministério da Justiça que está complementando com R$400,00 a renda de policiais que recebem menos de R$1700,00 brutos. Clique aqui e tire suas dúvidas sobre a Bolsa Formação. Fique atento para não perder sua vaga. Não são poucos os policiais que pretendem esperar a 00:00 desta sexta-feira para realizar sua inscrição. Clique aqui para acessar a ficha de inscrição. Clique aqui para ler as descrições dos cursos. Clique aqui para acessar o Ambiente Virtual EAD/SENASP.
O Blog da Segurança Pública anunciou com antecedência, o Diário de um PM e o Universo Policial também já divulgaram, mas pela importância do assunto lembramos aqui a nossos leitores que já começou as inscrições para o 15º ciclo dos Cursos à Distância da SENASP, Secretaria de Segurança Pública. Ao contrário dos outros ciclos, o 15º possui uma limitação: “O período de inscrições para o ciclo 15 será de 26/01/2009 a 02/02/2009 ou até o limite de 150.000 inscrições, o que ocorrer primeiro”. Ou seja: quem quiser fazer os cursos tem que correr, porque as inscrições certamente acabarão antes do prazo previsto. Por que é importante fazer os cursos EAD SENASP? Ora, primeiro lembremos que os cursos tratam de assuntos que interessam a todos os profissionais de segurança pública (policiais militares, civis, peritos e bombeiros militares). Vejam a lista de cursos: Cursos com 40 horas/aula: - Atendimento Policial a Mulheres Vítimas de Violência; - Direitos Humanos; - Saúde ou doença: em qual lado você está?; - Tráfico de Seres Humanos; - Violência, Criminalidade e Prevenção; Cursos com 60 horas/aula: - Análise Criminal; - Atuação Policial frente aos Grupos Vulneráveis (NOVO); - Busca e Apreensão; - Combate à Lavagem de Dinheiro; - Crimes Ambientais; - Crimes de Violência Doméstica; - Elaboração de Materiais para Educação a Distância; - Emergencista Pré-Hospitalar; - Formação de Formadores; - Gerenciamento de Crise; - Identificação Veicular; - Intervenção em Emergências com Produtos Perigosos; - Investigação Criminal 1; - Investigação Criminal 2; - Licitações e Contratos Administrativos; - Local do Crime: Isolamento e Preservação; - Mediação de Conflitos 1(NOVO); - Planejamento Estratégico (NOVO); - Planejamento Orientado por Problemas (SARA MODEL) (NOVO); - Polícia Comunitária; - Português Instrumental; - Redação Técnica; - Representação Facial Humana 1; - Representação Facial Humana 2; - Segurança Pública sem Homofobia - Pré-requisito: ter concluído o curso Direitos Humanos; - Sistema de Comando de Incidentes; - Sistema e Gestão em Segurança Pública; - Técnicas e Tecnologias Não Letais de Atuação Policial - Pré-requisito: ter concluído o curso Uso Progressivo da Força; - Uso das Informações na Gestão das Ações de Segurança Pública; - Uso Progressivo da Força. Além disso, o curso é pré-requisito para que o profissional de segurança pública perceba a Bolsa Formação, auxílio que o Governo Federal está dando aos policiais que possuem o salário bruto inferior a R$1700,00 - daí a grande procura pelos cursos. Apesar das afirmações acerca da possibilidade de corte da Bolsa Formação, parece que o Ministério da Justiça tomou como solução limitar o oferecimento dos cursos, e, conseqüentemente, o número de inscritos na Bolsa Formação. Clique aqui e acesse a ficha de inscrição.
por Danillo FerreiraA SENASP acaba de abrir inscrições para um novo ciclo de cursos à distância (EAD). Dessa vez, serão oferecidos 30 cursos, sendo três inéditos: Análise Criminal, Investigação Criminal 2 e Representação Facial Humana 2. As inscrições estarão abertas até o dia 18 de setembro, sendo que os cursos (de 40 ou 60 horas), iniciarão em 29 de setembro, terminando em 3 e 11 de novembro. Os cursos são:1. Análise Criminal - AC2. Intervenção em Emergências com Produtos Perigosos - IEPP3. Investigação Criminal 1 - IC14. Investigação Criminal 2 - IC25. Representação Facial Humana 1 - RFH16. Representação Facial Humana 2 - RFH27. Sistema de Comando de Incidentes - SCI8. Segurança Pública sem Homofobia - SPSH9. Elaboração de Materiais para Educação a Distância - EMEAD10. Licitações e Contratos Administrativos - LCA11. Sistema e Gestão em Segurança Pública - SGSP12. Português Instrumental - PTI13. Redação Técnica - RDT14. Polícia Comunitária - PCO15. Identificação Veicular - IDV16. Crimes Ambientais - CRA17. Formação de Formadores18. Atendimento Policial a Mulheres Vítimas de Violência Doméstica – MVV19. Saúde ou doença: em qual lado você está? – SOD20. Uso Progressivo da Força – UPF21. Local do Crime: Isolamento e Preservação – PLC22. Tráfico de Seres Humanos – TSH23. Violência, Criminalidade e Prevenção – VCP24. Direitos Humanos – DH25. Combate à Lavagem de Dinheiro – CLD26. Uso das Informações na Gestão das Ações de Segurança Pública – UIG27. Busca e Apreensão – BEA28. Emergentista Pré-Hospitalar - EPH29. Técnicas e Tecnologias Não Letais de Atuação Policial - TNL30. Gerenciamento de Crise - GDCLembrando que os policiais civis e militares, bombeiros, agentes penitenciários e peritos que participam dos cursos oferecidos pelo Ministério da Justiça poderão se inscrever no programa Bolsa Formação, que está complementando a renda dos profissionais de segurança pública que ganham menos de R$ 1700,00 (brutos) com R$ 400,00 (veja todos os critérios). Os soldados da PMBA, por exemplo, estão aptos a receber o benefício.Clique aqui para ler as descrições dos cursos. Aqui para acessar a ficha de inscrição, e aqui para se inscrever na Bolsa Formação.
por Danillo FerreiraDesde maio, quando o Sargento Lago divulgou no seu blog que tinha assistido ao piloto dum novo programa policial da TV Globo, que foi apresentado a ele e a alguns colegas da PMESP pela produtora "com o intuito de conscientizar os policiais de que será uma produção do bem", que se especula quanto às características do que seria o primeiro reality show policial brasileiro. Àquela época, informalmente, era chamado de "190", mas agora se sabe que o programa se chamará Força-Tarefa. Quanto ao conteúdo, a Folha Online divulgou que a Globo teria cortado cenas do reality show, que "só mostrará o lado bom da polícia (civil e militar) e dos bombeiros". De acordo com a Folha, essa foi uma das condições firmadas entre a emissora e a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, sendo que, inicialmente, 13 episódios irão ao ar, e, se der audiência, as gravações serão retomadas.André Ramiro: convidado para apresentar "Força-Tarefa". Foto: EGO.Força-Tarefa é uma das realizações da produtora independente Medialand, que traz em seu site uma descrição do trabalho:"O Força Tarefa é o primeiro reality-show policial brasileiro. As histórias são acompanhadas e gravadas diretamente no momento em que acontecem. Tudo é visto através dos olhos de policiais qualificados que agem estritamente dentro da lei. [...]Há predominantemente dois tipos de histórias. Uma em que todas as etapas da operação policial são mostradas. Da definição do objetivo, análise da área, planejamento da investigação até o desfecho. E outra em que tudo acontece de repente, a partir de um chamado de socorro inesperado dirigido aos centros de atendimento do Corpo de Bombeiros, da PM, enfim, das polícias em geral. [...]O telespectador vai se surpreender com o nível de organização e profissionalismo de policiais brasileiros. Inteligência, investigação, tecnologia e planejamento para agir já são rotina em várias forças de segurança pública. [...][...] O Força Tarefa terá duração de 30 minutos, com um intervalo comercial. Serão exibidas duas histórias por programa."Clique aqui e leia toda a descrição.Para apresentar o programa foi convidado o Matias de Tropa de Elite, o ator André Ramiro, que até já gravou um piloto, apesar de não ter assinado contrato com a emissora ainda. Força-Tarefa iria estrear em 5 de julho, mas, por estar em "fase de ajustes", a estréia foi adiada.Pela descrição da Medialand e pelas informações acima citadas, parece que o programa se prestará à função de divulgador do trabalho que a polícia e outros órgãos de segurança pública e defesa social realizam em seu dia-a-dia – tal qual o fazem muitos filmes e seriados norte-americanos com as polícias de lá. Que não nos enganemos com a visão grandiloqüente que essas produções estrangeiras dão de suas polícias, uma vez que lá também existem casos de corrupção e abuso, não obstante ser numa escala diferente. Contudo, é importante que seja divulgada essa "parte boa" das polícias, gerando mais confiança e respeito pelo nosso trabalho. O simples fato da ação policial estar em pauta na mídia já é uma grande oportunidade de melhorar as instituições policiais, mostrando à sociedade os nossos anseios e necessidades, e convencendo a todos da nossa importância.*Para saber de novidades sobre o reality show, participe da comunidade do orkut do programa Força Tarefa, clicando aqui.
Nesses dias que estive distante do Abordagem Policial, em virtude duma manobra de campo ocorrida aqui na APM-BA, recebi um e-mail dum tal Roberto Ferreira, nos seguintes termos: "Olá, tudo bem? Estou fazendo uma campanha para divulgar a nova série da Fox, chamada 9mm - SP. Vai mostrar como é o dia a dia do policial civil de SP. Se tiver interesse em divulgar no seu blog 2 vídeos que possuo sobre esta série, estão aí [...] Abraços, Roberto" Pois bem. A série não era desconhecida, já tinha sido comentada por blogs policiais. Mesmo assim, fui ver os vídeos, que simulam um programa de tevê chamado "Vale 2 mil reais?", onde o apresentador oferece este valor para quem "apenas" fizer uma visita a cinco bocas de fumo, encarar bandidos armados até os dentes, reconhecer o corpo de uma pessoa carbonizada, tudo isso a bordo de um Kadet 88. No final, o vídeo deixa a seguinte mensagem: "Por R$ 2000 em média, um policial arrisca sua vida todos os dias" e exibe o endereço verdadesobreapolicia.com.br, que direciona ao site oficial de "9mm". O curioso é que o Diário de um PM, o Blog da Segurança Pública e o Caso de Polícia também receberam e-mail divulgando os vídeos e incentivando a citação em seus respectivos blogs, o que faz-nos entender que se trata de uma campanha utilizando marketing viral, que tenta explorar redes sociais pré-existentes para produzir aumentos exponenciais em conhecimento de marca. A preocupação é com a qualidade do seriado; será que "9mm" seguirá a tônica de CSI, com suas investigações mirabolantes e a mistura de ficção científica com realidade? Ou tentará, tal qual Tropa de Elite, retratar com realismo o complexo panorama da segurança pública no Brasil – nesse caso, a partir do exemplo da Polícia Civil de São Paulo? Os vídeos criticando o baixo salário policial aponta para esta última tendência, mas alguns erros e embustes mostrados nos vídeos do site oficial apontam para uma exploração do tema apenas para ganhar audiência (o BSP mostrou alguns desses defeitos no seu post sobre o seriado). De qualquer maneira, nunca é demais termos a polícia divulgada, discutida e criticada. É pela falta dessa discussão que muitos problemas surgiram, e atualmente as polícias só são discutidas porque passam por problemas. O seriado 9mm estréia na próxima terça-feira, às 22h no canal FOX (TV a cabo). Veja os vídeos:

Artigos relacionados