Pesquisa no Rio estuda rejeição ao “Bandido Bom é Bandido Morto” 
Rio de Janeiro bate recorde de homicídios 
256 cidades do Estado de São Paulo não possuem Delegado 

Técnica e Tática Policial

No ideário popular o policial geralmente é tido como um indivíduo truculento, carente de sensibilidade e avesso ao conhecimento – a não ser o mínimo necessário para exercer sua profissão. O recente filme Tropa de Elite quebrou, de certa maneira, esse modelo, mostrando policiais militares em seus lados humanos, algo além da farda – apesar de frisar a truculência como idiossincrasia indispensável ao policial. Certamente, um fenômeno que também contradiz tal estereótipo é a grande quantidade de blogs e sites particulares de policiais brasileiros publicados na WEB. O blog, esta fantástica ferramenta de interação, está permitindo que policiais de todo o Brasil expressem suas opiniões e conhecimentos acerca de assunto tão delicado e complexo como a Segurança Pública. Nos Estados Unidos ocorre um fenômeno similar com o que se chama milblogs, blogs de militares que estão empenhados em missões no Iraque e no Afeganistão. Em recente artigo publicado na revista Militar Review, a Major do Exército Norte-Americano, Relações-Públicas das forças americanas no Iraque, Elizabeth L. Robbins, atesta que os "Soldados entendem que o público tem se tornado cada vez mais desconfiado da mídia atual e os milblogs constituem-se em uma maneira de contornar o poder da mídia de escolher o conteúdo das notícias.". O que não deixa de acontecer com os blogs policiais brasileiros, que não raro contestam versões deturpadas de notícias publicadas pela chamada "mídia tradicional". Militares americanos num Cybercafé: os milblogs corrigem e aperfeiçoam a visão da guerra e de seus participantes para os civis americanos A Major cita o consultor Robert Moskowitz, que afirma que "Pesquisas indicam que consumidores ficam cansados de mensagens corporativas refinadas e até podem não prestar atenção a elas. Inversamente, eles têm a tendência de prestar mais atenção quando percebem uma narrativa franca. É o mesmo fenômeno causado por uma correspondência escrita pessoalmente à mão, a qual recebe uma melhor aceitação do que uma escrita por máquina.". Assim, uma mensagem escrita por um blogger seria melhor absorvida pelos leitores do que uma versão oficial da mesma mensagem. Eis o ponto-chave para reverter o entendimento do policial como um ser "bruto" perante o público externo. Blog do Sgt. Ron Long, recrutado para o conflito no Iraque. Mas existem preocupações e limitações referentes às publicações extra-oficiais realizadas por policiais. A primeira é que nem toda informação ou assunto peculiares à atividade policial podem ser tratados publicamente. Por exemplo, a discussão sobre armamentos/técnicas ou a revelação de detalhes de operações realizadas, ou a se realizar, que podem atrapalhar a execução do intento das instituições policiais, fornecendo dados a pessoas nem sempre bem-intencionadas. Lembremos que qualquer mínima informação veiculada na internet é, em potencial, algo que pode obter uma super-audiência. Outro ponto é observado no referido artigo, quando lembra que o cidadão "ao colocar um uniforme, voluntariamente concorda em limitar sua liberdade de expressão e atividade política". Ou seja, aos militares cabe, também, a observância dessas limitações disciplinares e hierárquicas comuns à sua condição. Blog Da Segurança Pública: Um dos mais visitados do Brasil, feito por policiais. No Brasil, a gama de policiais que aderiram ao blog como ferramenta de diálogo vai de coronéis a soldados, de delegados a agentes, criando um ambiente saudável de discussão que, além de se voltar para um fim comum – a melhora da Segurança Pública brasileira – é um exercício de auto-estima profissional e de cidadania. Não há quem perca com essa nova tendência de comunicação.