Por que Policiais se Matam? 
Policiais civis invadem casa de Sargento PM por engano 
Coletes da PMPR passam por “recall” 
Morte de PMs em São Paulo cresce 68,7% 
Impeachment: como votaram os deputados ligados à Segurança Pública 
Com mais de duas décadas de sucesso, Duro de Matar (Die Hard) é um dos grandes nomes do cinema policial. A primeira e clássica versão saiu em 1988, ano em que foi promulgada a atual Constituição Brasileira, e de lá para cá ela foi vista por milhares de pessoas em todo o mundo – só aqui no Brasil, a Globo já exibiu inúmeras vezes nas sessões da tarde e similares. As quatro versões existentes (1988, 1990, 1995 e 2007), mostram a atuação de um dos ícones policiais do cinema: John McClane, interpretado por Bruce Willis, detetive de Nova York que enfrenta terroristas portando sua singela pistola, principalmente quando eles ousam ameaçar sua esposa ou sua filha, Holly e Lucy, respectivamente. McClane faz valer a máxima que afirma que "todo policial é policial 24 horas por dia". Nos dois primeiros filmes ele é surpreendido na véspera de Natal, tendo que enfrentar bandidos logo quando vai encontrar sua família. No terceiro, ele é acionado quando está de ressaca, após uma noite de bebedeira, no quarto, quando está reclamando sua filha por estar namorando no carro. Além dessa característica, os filmes mostram outras que todo policial conhece: o conflito de competências, as vaidades de comandantes, enfim, questões pessoais e políticas que acabam emperrando o desenvolvimento do serviço. McClane se irrita diversas vezes com a ingerência do FBI e de policiais que, apesar de estarem em sua área de atuação, sabem pouco do problema que precisam resolver. (mais…)