Durante a crise, empresas de segurança privada crescem no Brasil 
Governo Temer planeja endurecimento de penas no Brasil 
Como as crianças brasileiras percebem a violência? 

200 anos

Ontem, a PM mais badalada do Brasil está completando 200 anos: a Polícia Militar do Rio de Janeiro. Retratada em filmes, seriados e livros que repercutiram internacionalmente, a PMERJ, e o Rio de Janeiro, são símbolos dos problemas por que passam as corporações policiais no Brasil, de modo que sempre que se quer abismar um público com estatísticas e fatos negativos referentes à segurança pública, cita-se o Rio como exemplo. A corrupção de parte de seus agentes, os baixos salários, a violentíssima criminalidade que enfrentam. Difícil estabelecer culpados por problemas que não se iniciaram hoje, nem este ano, nem nesta década... Mas a pergunta a se fazer, já que comemoramos o aniversário da polícia que cuida do Estado que talvez mais identifique o brasileiro internacionalmente, é: o que se está fazendo para modificar essa conjuntura? De acordo com O Globo, o Governador Sérgio Cabral anunciou algumas novidades para a PMERJ, como a contratação de cerca de 22 mil homens nos próximos cinco anos, e o aumento salarial para a categoria no segundo semestre, sem especificar o percentual. Já o Coronel Comandante Geral da PM do Rio "exaltou o projeto de policiamento comunitário , já implantados nas comunidades Santa Marta, em Botafogo, Batan, em Realengo, e Cidade de Deus, em Jacarepaguá". São medidas importantes, mas ainda não dá pra acreditar que são suficentes. Os 200 anos de uma instituição da importância da PMERJ merecia algo mais. Medidas pautadas na reflexão de que apesar de seus dois séculos a instituição ainda tem muitos entraves, problemas e deficiências, talvez repetidos historicamente. Abaixo, deixo um pequeno texto do Coronel Reserva da PMERJ Paulo Ricardo Paúl, com profundas conclusões sobre o bicentenário da corporação: A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro completa 200 anos de criação. Uma grande festa, envolvendo toda a população fluminense, deveria estar acontecendo por todo o Estado do Rio de Janeiro, homenageando a Instituição Militar bicentenária e os seus integrantes, os Policiais Militares, autênticos heróis sociais do cotidiano. Infelizmente, a realidade é muito diferente e as poucas festividades ficarão restritas às promovidas pela própria Polícia Militar. Vivemos dias de pouca credibilidade junto aos nossos clientes, os cidadãos fluminenses; o nosso efetivo está totalmente desmotivado, em face dos salários famélicos recebidos, os piores do Brasil e a Instituição está completamente subjugada ao poder político. O caos é a nossa realidade, todavia, não podemos esquecer que do caos podemos construir a ordem. É hora de enxugar as lágrimas e encher o peito de coragem. Hoje, os Alunos do Primeiro Ano do Curso de Formação de Oficiais recebem na Academia de Polícia Militar D. João VI, o Espadim de Tiradentes, o símbolo do idealismo e do destemor. Eles representam o novo, a nova Polícia Militar. Eles são o futuro! E, pensando neles, encerro com a frase que pode nortear o futuro da Polícia Militar: 13 de maio de 2009 – Um Novo Início, Uma Nova Polícia. PAULO RICARDO PAÚL CORONEL DE POLÍCIA CORONEL BARBONO Rio de PAz homenageia policiais do Rio Aproveitando os 200 anos da PMERJ, a ONG Rio de Paz fez uma manifestação na Praia de Ipanema, em homenagem aos policiais mortos no Estado nos últimos dois anos. Foram estendidas em varais setenta fardas da PMERJ, manchadas de "sangue" (tinta) e furadas como se tivessem recebido tiros. Num cartaz, a seguinte frase: "Eles tombaram na defesa do povo do Rio de Janeiro". Parabéns à ONG pelo reconhecimento...