Por que você deve estar atento à PEC 89/2015 
Livro: “Quem comanda a segurança pública no Brasil?” 
Técnicas de segurança para motociclistas no Trânsito 

Acidente de Trânsito

Saiu na edição 2333 da Veja: O Brasil é o país com o maior número de mortos em acidentes de trânsito por 100.000 habitantes, foram 58.000 mortos só em 2011.  É a segunda maior causa de morte no país, na frente dos homicídios que estão em terceiro lugar (52 mil em 2011). Os motivos são muitos: Má sinalização, má fiscalização, qualidade horrível das estradas etc. Mas a culpa não é só do governo: os próprios motoristas estão cada vez mais descuidados; nem a Lei Seca parou isso. E não é só o álcool que contribui com esses números, a nova febre de smartphones é tão grande que eles causam boa parte desses acidentes de trânsito. No infográfico abaixo é possível verificar algumas formas de não sofrer acidentes evitando buracos de várias formas, dependendo do tamanho: Fonte: Minuto Seguros Em 2012, o número de mortos subiu para 60.752. Segundo a Veja, o trânsito no Brasil em 2012 matou tanto quanto: - A Guerra Civil na Síria nos últimos 20 meses - A Guerra do Iraque nos últimos 3 anos - A guerra do Vietnã em 16 anos. Entre os acidentados, os jovens são as maiores vítimas. De todos os mortos em 2012, 41% tinham entre 18 e 34 anos. Outro dado interessante é o ranking de estradas mais perigosas. Em primeiro lugar está a BR-316 em Ananindeua (PA), nos trechos do km 0 ao 10. Foram 1355 acidentes e 32 mortos. Para finalizar, aqui estão os 5 maiores pecados dos motoristas. Se você é motorista, se conscientize e não cometa os mesmos erros! 1º Usar celular no volante 2º Dirigir alcoolizado (corresponde a 21% dos acidentes) 3º Dirigir colado na traseira do carro à sua frente 4º Dirigir acima do limite de velocidade da pista 5º Esquecer de ligar a seta      
O risco nas ultrapassagens de veículos é um assunto que preocupa as autoridades e seus agentes de trânsito, condutores experientes e aqueles com pouca experiência. Somente nas Rodovias Federais (BRs), em 2011, a ultrapassagem incorreta foi responsável pela morte de 2.685 pessoas no país, ou seja, 31% do total de 8.660 pessoas mortas nessas vias, segundo o Denatran.Para aumentar o nível de segurança nos deslocamentos é importante ter conhecimento das regras sobre esse importante assunto, pois uma ultrapassagem mal conduzida pode resultar numa tragédia. O condutor que não pôr em prática as regras estabelecidas pela legislação de trânsito será um forte candidato a envolver-se num sinistro de trânsito. Antes da ultrapassagem é necessário que o condutor avalie: as características do veículo, as condições climáticas, as características da estrada, a experiência própria e seu estado emocional, a distância de visibilidade da ultrapassagem e o intervalo entre o veículo de direção contrária. Faça sinais luminosos trocando a luz baixa e alta, por pouco tempo, com o objetivo de alertar o outro motorista, pelos espelhos retrovisores do veículo dele, que será ultrapassado. Antes de iniciar a ultrapassagem e antes de retornar para a pista de origem, deverá ser efetuado sinal luminoso com os indicadores de mudança de direção ("pisca-pisca") ou gesto regulamentar com o braço esquerdo. É importante ter certeza de que nenhum condutor que venha atrás haja começado uma manobra para ultrapassá-lo; quem esteja à frente na mesma faixa de trânsito não haja indicado o propósito de efetuar ultrapassagem; a faixa de trânsito esteja livre numa distância suficiente para que sua manobra não ponha em perigo ou obstrua o trânsito que venha em sentido contrário, entre outras ações defensivas. Uma dica interessante para evitar sinistro com o veículo que está sendo ultrapassado: durante a manobra olhe várias vezes para o pneu dianteiro esquerdo do veículo, se o condutor sair da pista dele será possível notar imediatamente. (mais…)
1. O uso dos faróis baixos ligados durante o dia é recomendado pela Resolução n° 18/98 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), pois ele auxilia na redução de sinistros no trânsito; 2. A NHSTA (Associação Norte-Americana de Segurança rodoviária, órgão dos EUA), afirma que o uso de farol baixo ligado durante o dia reduz em 12% os acidentes envolvendo pedestres e ciclistas e em 5% as colisões entre veículos; 3. Aumenta em mais de 64% a visibilidade dos veículos que estão com os faróis ativados, segundo pesquisas científicas realizadas por órgãos oficiais de renome internacional; 4. Mesmo em condições de boa luminosidade diurna, as cores e as formas dos veículos contribuem para dissimulá-los, o que atrapalha a sua visualização a uma distância segura para ações preventivas de acidentes; 5. "O maior percentual de mortes nas rodovias é por choque frontal, em tentativa de ultrapassagem; com o uso do farol baixo, o motorista consegue ver, de maior distância, se o veículo à sua frente está indo ou vindo em sua direção", afirma o diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Alfredo Peres da Silva; 6. Os pesquisadores do Centro de Pesquisas de Acidentes da Universidade Monash de Melbourne (Austrália) afirmam, após análise científica, que um veículo de cor preta tem 12% a mais de possibilidades de envolver-se em acidente durante o dia do que com a cor branca; (mais…)