Durante a crise, empresas de segurança privada crescem no Brasil 
Governo Temer planeja endurecimento de penas no Brasil 
Como as crianças brasileiras percebem a violência? 

Ceará

Uma policial militar cearense teve problemas para assistir aula na Universidade Federal do Ceará por estar fardada e armada. Por um lado, a UFCE afirma que o problema foi a arma. Por outro, a PFem afirma que o problema foi a farda. O assunto merece ser discutido: Uma aluna do curso de Letras da Universidade Federal do Ceará (UFC), que é policial militar, foi impedida de assistir aula no campus do Benfica, na noite de terça-feira (2), por estar armada e fardada na sala de aula. A PM foi conduzida por seguranças da instituição até a coordenação. As informações são da Redação Web do Diário do Nordeste. Segundo informações da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar do Ceará (ACSMCE), a policial, que é lotada no Ronda do Quarteirão, teria ido para a aula após sair do trabalho. Minutos depois, três seguranças abordaram a aluna e informaram que ela não poderia continuar no local estando fardada. A policial teria sido hostilizada pelos estudantes. A versão foi confirmada por um parente da estudante que pediu para não ter o nome divulgado. Em nota, a UFC informou que a aluna deixou o campus por vontade própria e que ela poderia assistir aula fardada, desde que não estivesse armada. A Universidade informou que deu à policial a opção de guardar a arma no cofre da instituição, mas ela teria recusado. A ACSMCE afirmou, por meio de nota, que a diretora do Centro de Humanidades justificou que a aluna não poderia permanecer no local por conta do fardamento. A policial foi ouvida, ontem, pelo Comando Geral da Polícia Militar do Ceará e pelo sub-comandante do Ronda do Quarteirão, major Alber. A universitária também fez um Boletim de Ocorrência e quer levar o caso à Polícia Federal (PF). O tenente-coronel Fernando Albano, relações públicas da Polícia Militar, disse que a estudante formalizou um termo de declaração. O Comando irá encaminhar o ofício para a PF e para a Reitoria da UFC a fim de que medidas sejam adotadas. A assessoria de comunicação da PF não atendeu aos telefonemas da reportagem até o fechamento desta edição. Fonte: Diário do Nordeste
Todos conhecem a estória do marido que, ao ver a esposa lhe traindo em cima do sofá, imediatamente vai a uma loja de móveis e dá conta de comprar um outro assento tentando garantir que fatos como aquele não ocorram novamente. É mais ou menos esta a sensação que temos quando lemos manchetes como a que segue, tratando de uma "mudança" de orientação na Polícia Militar do Ceará: Polícia Militar do Ceará é reestruturada e adota linha dura Polícia que se propunha ser comunitária começa a mudar de rumo após casos de condutas inadequadas, abordagens desastrosas e crescimento nos números de violência Soldados da Polícia Militar do Ceará usam viatura como "motel" e são expulsos. Vídeo flagra policiais espancando e depois liberando suspeitos . Adolescente é morto com tiro na nuca por PM novato. Para o comando militar, as condutas inadequadas e abordagens desastrosas são casos isolados. Para especialistas, reflexo de uma política de segurança pública equivocada. A despeito do debate, essas falhas, somadas ao crescimento da violência e a defasagem de homens no Estado, levaram o governo Cid Gomes (PSB) a iniciar uma reestruturação da corporação e a endurecer ao longo dos últimos anos uma polícia que se propõe comunitária. [...] Implantado em 2007 [o programa Ronda no Quarteirão], a estratégia de policiamento de proximidade consiste em ter uma viatura para atender áreas de até três quilômetros quadrados. Com equipes fixas, a ideia era que os policiais interagissem mais com a comunidade. Para facilitar esse contato, o governo resolveu criar uma identidade visual ao programa e deu fardamento especial, treinamento específico e aparelhamento diferenciado aos soldados do Ronda. Essa "nova polícia" passou então a dirigir luxuosas caminhonetes de cabine dupla modelo Hilux SW4 com ar-condicionado e câmbio automático, no valor estimado de R$ 150 mil cada. Com a expansão dessa estratégia de policialmente para o interior do Estado, em abril de 2010 foi criado o Batalhão de Policiamento Comunitário (BPCom) – hoje formado por aproximadamente 3,9 mil policiais. Com comando próprio e regalias como gratificações extras, gerou-se a impressão de haver uma polícia dentro da polícia. O ex-secretário Nacional de Segurança Pública, coronel da reserva da PM, José Vicente da Silva Filho, tido como um dos maiores especialistas da área no País, chegou a ser convidado por Cid Gomes para auxiliar na organização do Ronda do Quarteirão. Os dois se encontraram, mas o coronel recusou a proposta. "Fui conversar com ele e falei que o projeto estava equivocado e não iria dar certo. Ele resolveu fazer uma polícia à moda a dele. Com uma Hilux, poderia comprar três boas viaturas. É um aparato marqueteiro", contou ao iG . "O problema do Ronda é o tratamento diferenciado dado a um grupo que faz trabalho na polícia. O restante fica ressentido e olhando mal esse grupo de estranhos." Cid Gomes ignorou os conselhos do especialista e bancou o projeto, que mais tarde veio a servir de referência para outros Estados brasileiros. No início, a presença massiva das viaturas nas ruas levou à população cearense uma sensação de segurança. Com o passar do tempo, constatou-se que não houve diminuição da violência. A taxa de homicídios a cada 100.000 habitantes subiu 80% em dez anos. Em 2000, o índice no Ceará era de 16,5 mortes. Em 2010, chegou a 29,7. Os dados constam do Mapa da Violência 2012, do Instituto Sangari. Leia mais... (mais…)
Ao entrevistar a mim e ao Tenente Alexandre na Campus Party, o jornalista Antino Silva, do jornal O Povo, lamentou o fato do Estado do Ceará ainda não possuir um blog policial. Enfim, suas expectativas foram alcançadas: acabamos de encontrar dois blogs policiais cearenses, ambos de policiais militares. Curioso é que eles já existem a um bom tempo, um deles desde 2008 e o outro desde janeiro deste ano. São eles: Civitate - coronelbessa.blogspot.com Descrição: "Civitate" era o conjunto de cidadãos que constituíam uma cidade. Derivado do latim "civitas". No vernáculo da língua portuguesa derivou as palavras cidade, cidadão e cidadania. A cidade era, portanto, a comunidade organizada politicamente, sendo o "status civitatis" o estado de cidadão. Já o termo grego "polis", que significa cidade, derivou o termo polícia. Ser cidadão é ser policial. Ser policial é ser cidadão. Autor: Coronel PMCE Adail Bessa de Queiroz, Ex-Comandante-Geral Adjunto (2006) e Ex-Comandante-Geral (2007) da Polícia Militar do Ceará. Nascimento: janeiro de 2009 Sobrevivência Policial - sobrevivenciapolicial.blogspot.com Autor: Wilson Melo, Oficial Superior da Polícia Militar do Ceará com 19 anos de serviço, comandante do Comando Tático Motorizado (COTAM) do Batalhão de Choque. Descrição: "Tenho o real desejo de tornar este blog um espaço onde possamos discutir, de forma aberta e sincera, assuntos de interesse profissional para todos aqueles que participam da guerra diária contra a criminalidade e a violência". Nascimento: agosto de 2008 Os blogs são muito bons, com um destaque para a série de posts do Coronel Bessa, intitulados "Memórias de um Coronel de Polícia". Com esses dois novos blogs agregados à Blogosfera Policial, chegamos à marca de 73 blogs policiais no Brasil, alcançando 16 estados. A meta é alcançar todo o Brasil, e de maneira vasta, como ocorre com o Rio de Janeiro, que, apesar de ser o Estado onde os blogueiros policiais mais sofrem represálias, é também o Estado onde existe mais blogs policiais: 28 (coincidência?). Convocamos, então, os policiais dos estados ainda não contemplados com um blog a criar o seu, e expandir os espaços de discussão da segurança pública no Brasil. Clique aqui e leia a lista da Blogosfera Policial e o novo mapa da distribuição dos blogs policiais no Brasil.