Pesquisa no Rio estuda rejeição ao “Bandido Bom é Bandido Morto” 
Rio de Janeiro bate recorde de homicídios 
256 cidades do Estado de São Paulo não possuem Delegado 

Globo

Duas recentes matérias publicadas em veículos de grande notoriedade no Brasil - para não dizer que estamos falando de exceções provincianas e locais - mostram o comprometimento da nossa imprensa com causas que costuma defender, geralmente criticando (legitimamente) as polícias e o sistema de justiça criminal no país. Os detalhes encontrados nestas publicações, que não significam pouco, apontam o quanto a linha editorial de grandes jornais e revistas não estão devidamente alinhados com o que chamamos de Direitos Humanos. O primeiro destaque é de uma manchete do Jornal O Globo, com o seguinte teor: Qualquer criança sabe bem o significado do termo "caçar", e as consequências inevitáveis para aquilo que é "presa" dos "caçadores". Há quem acuse esta observação de excessivamente detalhista, mas qualquer profissional da área de comunicação sabe bem o quanto cada palavra e seu significado possuem importância e são conscientemente escolhidas. Talvez também não seja um detalhe o fato de que o Leblon é um bairro nobre do Rio de Janeiro. A outra publicação ocorreu na Revista Veja, onde um colunista, ao citar a notícia de que a Holanda estaria fechando prisões por falta de condenados, disse que não concordava com as condições - dignas e salubres - das cadeias holandesas: Não considero injustas a maioria das críticas da imprensa às más práticas de policiais e outros agentes públicos, tampouco às acusações contra a institucionalização da violência em prisões e do sistema penal brasileiro como um todo. Mas que a imprensa lave a boca antes de acusar e criticar. Os Direitos Humanos agradecem...
Depois de muita espera e especulação, a Globo finalmente começou a divulgar sua minissérie policial: Força Tarefa. Inicialmente, esse nome seria dado a um Reality Show policial, que foi criado pela produtora Medialand, e vendido para a Globo, mas ainda não tem previsão de ir ao ar, conforme o site da produtora. Na verdade, Força Tarefa nasceu a partir da idéia de se transferir para a telinha o sucesso de Elite da Tropa, conforme disse o diretor da minissérie, José Alvarenga Jr. à Revista da TV: "Como as negociações com o José Padilha e o Marcos Prado (diretor e produtor das aventuras do Capitão Nascimento) desandaram depois que eles optaram por um "Tropa 2", a emissora me pediu que pensasse em um seriado policial. Foi aí que tivemos a ideia de chamar o Marçal Aquino (escritor e roteirista de "Os matadores", "O invasor" e dos demais filmes de Beto Brant) e o Fernando Bonassi (dramaturgo, escritor e co-roteirista de "Carandiru"). Os capítulos que eles escrevem em 15 dias, nós filmamos em sete. [...] Como ser incorruptível em uma realidade onde as negociações ocorrem a céu aberto? Como reage uma classe que corre o risco de levar um tiro de armas que seus próprios colegas venderam aos traficantes? A repressão ainda é fundamental para que uma sociedade exista? Era urgente que a Globo falasse disso em um Brasil que virou um país de filme policial - diz Alvarenga" Clique aqui e leia todo o texto da Revista da TV. Apesar das notícias afirmarem que a minissérie vai mostrar o trabalho da Corregedoria da PMERJ, me parece que haverá alguma mistura com o trabalho da Seção de Inteligência, a chamada P2. Vejam: "Seis policiais com a difícil missão de investigar o trabalho da própria polícia. Este é o tema central de Força Tarefa, série investigativa da Rede Globo que tem estreia prevista para abril. Escrita por Fernando Bonassi e Marçal Aquino e dirigida por José Alvarenga Jr., a trama já começou a ser gravada no Rio de Janeiro e traz Murílio Benício, Milton Gonçalves e Hermylla Guedes no elenco." Clique aqui e leia toda a notícia. Me parece que a intenção é mesmo de abordar o que deu certo em Elite da Tropa: os meandros por que passa ética no âmbito policial, onde os conceitos de "certo" e "errado" às vezes chegam a uma delicada diferenciação, fazendo com que a legalidade nem chegue a ser considerada em alguns casos. Esse é o ambiente que policiais novos e/ou honestos muitas vezes se deparam. Mesmo com a divulgação da série, fico ainda na espera do Reality Show, que me parece uma idéia muito mais interessante. De qualquer modo, vamos esperar a estréia para comentar o conteúdo de Força Tarefa - e lembrar sempre que o fato da polícia ser discutida através de obras de ficção sempre é muito importante para a difusão de nossos acertos e alerta aos nossos erros. Clique aqui e veja mais sobre o Reality Show Policial da Medialand. Recapitulando: Minissérie Força Tarefa Emissora: Rede Globo Estréia: 16 de abril; Diretor: José Alvarenga Jr. Elenco: Tenente Wilson (Murilo Benício); Coronel Caetano (Milton Gonçalves); Samuca (Nando Cunha); Jonas (Rogério Trindade); Selma (Hermylla Guedes); Jorge (Rodrigo Einsfeld); Irineu (Juliano Cazarre); Oberdan (Henrique Neves); Genival (Osvaldo Barauna).