Os problemas com as armas Taurus 
Mulheres com medidas protetivas poderão acionar botão para chamar a polícia em Pernambuco 
Jovens são presos por desacato após comentar ações de policiais 

Ivete Sangalo

Já começou a maior festa popular do mundo, o Carnaval de Salvador, por onde passarão milhares de pessoas de todas as cores, nacionalidades, naturalidades, classes sociais e interesses. A cidade se transforma durante os 7 dias da festa: o fluxo de pessoas, a arrumação do espaço físico, os destaques da imprensa, a euforia dos turistas e dos nativos, enfim, Salvador parece outra cidade. Não é diferente no âmbito da Segurança Pública. Seguramente, o tráfico de drogas tem seu mercado aquecido, já que o ambiente de liberalidade carnavalesca é um atrativo a mais para os usuários. Furtos e roubos são mais comuns nessa época, já que os infratores da lei percebem maior facilidade em se aproveitar das pessoas que estão com suas atenções voltadas para a música, para as paqueras, para as drogas — lícitas e ilícitas (leia os textos do Blitz Policial sobre o Carnaval: Planejamento, Estatísticas e Sensação). De acordo com a Secretaria de Comunicação do Governo da Bahia, serão investidos R$ 21,5 milhões para garantir a segurança dos foliões durante a festa em Salvador, onde 16.207 policiais atuarão, entre policiais civis, militares e bombeiros. Na PM, percebe-se que os recursos — materiais e humanos — são mobilizados como em nenhuma época do ano. Quem trabalha no Carnaval recebe hora-extra e ticket-alimentação, percebe-se uma preocupação com o estado emocional dos policiais que atuarão e o trabalho deles é fiscalizado de maneira eficiente: são 117 câmeras no circuito. É uma pena que esses fatores positivos nem sempre são reunidos nas diversas atuações da polícia. O argumento utilizado geralmente é o da falta de recursos, mas creio que a atenção do Estado é diretamente proporcional à visibilidade do evento, e seria difícil ocorrer de outro modo, pelo menos na estrutura política em que estão situadas as polícias estaduais atualmente. Para se ter uma noção da proatividade dos responsáveis pela segurança pública no Estado da Bahia nessa época, veja-se a curiosa medida de mandar cartas para "os cerca de 1.300 foliões que se envolveram em brigas e pequenos furtos no Carnaval passado". "É um recado e uma exaltação à paz, uma lembrança a essas pessoas que pareciam não estar com paz interior em 2008", disse o Secretário de Segurança Pública da Bahia, César Nunes, conforme divulgou o Política Livre. PMBA e artistas no Carnaval Outra interessante medida foi incluir a cantora Ivete Sangalo, vestida de policial militar da Bahia, nas campanhas publicitárias do Carnaval. Ivete é uma tradicional admiradora da PMBA, e já apareceu em vídeos fardada com o uniforme do Batalhão de Choque, além de ter dançado, em outro carnaval, com policiais fardados no meio da avenida. Além de Ivete, quem não se lembra da homenagem que Durval Lelys, vocalista do Asa de Águia, fez à PM baiana no Carnaval de 2008, cantando fardado o hino da PMBA? Dicas aos foliões do Carnaval 2009 Dois serviços de grande importância para os foliões do Carnaval da Bahia é a Delegacia Digital da Polícia Civil e a devolução de documentos perdidos realizada pela PMBA. Lembrando que na Delegacia Digital "Só poderão ser registradas ocorrências relativas a furto de veículos, furto de objetos e documentos, perda e extravio de documentos e objetos, desaparecimento e encontro de pessoas". Quanto aos documentos perdidos, serão devolvidos até quinze dias após o Carnaval, no SAC do Shopping Barra, em Salvador. Assim, caso você encontre qualquer documento, entregue a uma patrulha da PM, que já estará orientada a receber o documento para que seja devolvido ao dono. Clique aqui para visitar o site da Delegacia Digital. Clique aqui para saber como funciona o sistema de Devolução de Documentos Perdidos. Interessante também é ler as dicas de segurança divulgada pelo Departamento de Comunicação Social da PMBA: 1. Evite levar para o circuito cartões de crédito e todo o talão de cheque. Não ostente jóias e nem porte grande quantia de dinheiro; 2. Separe as folhas de cheque e dinheiro de qualquer documento pessoal, distribuindo-os em seus bolsos; 3. Com exceção da CNH, procure portar cópias reprográficas autenticadas dos documentos, lembrando que no caso da documentação do veículo, a autenticação só é válida quando realizada pelo DETRAN; 4. Evite levar bolsas, carteiras, máquinas fotográficas ou de filmar para os tocais de festa; 5. Mantenha-se alerta e atento a pessoas que lhe despertem desconfiança. Se estiver sendo seguido, dirija-se, com naturalidade, a um posto da Polícia Militar ou a uma patrulha da PM; 6. Em caso de assalto, não reaja nem tente fugir, respondendo apenas o que lhe perguntarem. Jamais encare diretamente os assaltantes; tente manter a calma. Sua vida vale mais que qualquer bem material. Não faça movimentos bruscos; Lembre-se sempre de que há possibilidade de existir outra pessoa dando cobertura ao crime; 7. Nunca deixe de registrar a ocorrência numa delegacia policial, e se testemunhar um ato delituoso, procure informar rapidamente à Polícia Militar; 8. Utilize os meios de transporte coletivo ou táxi; não sendo possível estacione seu veículo nos locais indicados pela Prefeitura; 9. Caso seja necessário estacionar em via pública, atente para a sinalização e evite os locais ermos, evitando permanecer no interior do veículo; 10. Não deixe exposto no veículo objetos de valor, sacolas, pacotes, nem documentos importantes, procurando guardá-los no cofre ou porta-mala; 11. Sempre que for utilizar caixas eletrônicos, tenha cuidado ao digitar a sua senha e em caso de dúvidas procure algum funcionário do banco; 12. Não faça uso imoderado de bebidas alcoólicas, e se estiver dirigindo passe a condução do veículo para alguém que não esteja bebendo; 13. Utilize telefones públicos, evitando portar telefones celulares nos circuitos; 14. Identifique as crianças com cartões, especificando nome, filiação, endereço e telefone para contato, mesmo que a criança já consiga se comunicar; 15. Lembre-se de que o porte de arma está suspenso, desrespeitar constitui prática de delito. Desejo a todos os foliões um bom Carnaval, com muita curtição, mas sem exageros. O Estado depende de todos para que se realizem as metas de diminuição de ocorrências na festa. Quanto aos policiais, lembremos que estaremos atuando num ambiente de relaxamento para os foliões, onde "extravasar" é a palavra-chave, assim, cabe ser flexível e entender algumas atitudes não-convencionais, mas sem ser tolerante com as ilegalidades.