Os problemas com as armas Taurus 
Mulheres com medidas protetivas poderão acionar botão para chamar a polícia em Pernambuco 
Jovens são presos por desacato após comentar ações de policiais 

Roubo a Banco

O ímpeto de justiça vingativa recorrente a vários policiais é eivado de legalidade e constantemente alvo de condenações, por supostamente alinhar os defensores da lei com os violadores, mas há casos em que a motivação é diametralmente oposta. Um prioriza a satisfação pessoal em detrimento do sofrimento alheio, outro deseja o bem-estar geral livrando a coletividade de quem causa o mal. Um policial militar da Bahia tombou em confronto com criminosos após roubo a banco na última semana. Os homens da lei apreenderam as armas superpotentes, acima da dotação regular da PM, com munição à vontade, e recuperaram a fortuna de mais de meio milhão que havia sido subtraída, mas nada disso ameniza a dor da perda de um combatente. E do outro lado, quem estava? Alguma "vítima da questão social"? Dois dos integrantes da quadrilha possuíam extenso, e põe extenso nisso, currículo no mundo do crime. Acacio Gonçalves da Silva, 36 anos, passeou, isso mesmo, passeou pelas leis penais, chegando a colecionar 2 mandados de prisão, 7 procedimentos policiais e 10 processos criminais em sua carreira no crime, sem contar no indeterminado número de ações bem sucedidas que não resultaram em registros, prisões ou processos, que infelizmente são maioria na rotina dos marginais, por mais que a Polícia se esforce. Aliás, a Polícia se esforça, todos esses registros foram graças a repetidas prisões que policiais fizeram, pensando em livrar a sociedade da ameaça eterna desse elemento: ledo engano. Acacio teve envolvimento variado com homicídio, roubo, porte de arma, receptação, formação de quadrilha, resistência, documento falso, alternadamente nos meses e anos de 1999, 2001, 2002, 2003, 2004, 2006 e 2007. (mais…)